ANO: 24 | Nº: 6080

Dilce Helena Alves Aguzzi

dilcehelenapsicologa@gmail.com
Psicóloga
11/09/2018 Dilce Helena Alves Aguzzi (Opinião)

Cala, observa e aprende

Muitas situações na vida levam à confusão, mal entendidos e conflitos, alguns necessários para nossa mudança e crescimento, outros tantos meramente desgastes inúteis que servem apenas para nos enfraquecer o espírito, a mente e o corpo. Experiência leva à habilidade em saber lidar e, principalmente, evitar estes últimos, pois são estéreis. Nada mais exaustivo que situações nas quais não somos compreendidos, não por sermos tão complicados assim, mas porque este gesto de compreensão e empatia não é prioridade. Duro admitir, mas muitas vezes não somos prioridade e isso não é o fim do mundo!

Nestes momentos saber calar é essencial, observar é a única coisa a fazer e aprender torna-se questão de sobrevivência inteligente, afinal, nada pode ser mais estúpido que a repetição constante.
É hora de calar quando:
- Não há nenhum sinal de interesse no seu ponto de vista, a motivação é somente sua.
- O interlocutor fala junto, aumenta o tom de voz para abafar sua opinião, ou pior, faz aquele ar de tédio total e simplesmente aguarda o discurso acabar.
- Existe a sensação de estar repetindo o mesmo monólogo incansáveis vezes.
- Não sabe mais o que está falando ou porque o debate iniciou.
- O interesse em uma resolução amigável e amorosa é unilateral.
Depois do silêncio é hora de observar o rumo dos fatos e a escolha das ações que vem a seguir, sem precipitação, julgamentos ou vitimizações; o que já é um grande exercício de autoconhecimento e autocontrole.
O passo seguinte é sem dúvida o aprendizado. Bons observadores aprendem mais e repetem menos tantos os próprios erros quanto situações indesejáveis.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...