ANO: 25 | Nº: 6312
15/09/2018 Campo e Negócios

Fetag detabe retomada do Programa Nacional de Crédito Fundiário

A busca por definições e estratégias do movimento sindical para a retomada do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) e a Capacitação Técnica com equipe da Unidade Técnica Estadual (UTE/RS) e Subsecretaria de Reordenamento Agrário/SRA (Sigcf, Chek-list, Fluxo Operacional e Ater) motivou a Fetag a reunir, sexta-feira, sua Comissão Estadual de Política Agrária, em ato no auditório da federação em Porto Alegre.

O presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva, destacou a importância do PNCF para o agricultor familiar. Ao mesmo tempo, Pedrinho Signori, secretário-geral da Fetag, lembrou a insistência da federação para que o programa não fosse extinto e hoje começa a ser retomado. Conforme Carla Schuh, assessora de Política Agrícola da Fetag, a meta de contratações até março 2019 é de 500 propostas no Rio Grande do Sul. "O Fundo de Terras possui, atualmente, um montante de recursos em torno de R$ 900 milhões, ou seja, não há falta de dinheiro para retomar o programa", garante.

O delegado no Estado do Desenvolvimento Agrário, Márcio Madalena, apresentou os colegas que trabalharão para agilizar as propostas do PNCF, Ele disse que o objetivo deste encontro na Fetag é sair daqui com um calendário de trabalho. O novo teto de financiamento, que era de R$ 80 mil, passou para R$ 140 mil por beneficiário, enquanto o prazo aumentou de 20 para 25 anos.

A programação iniciou com o técnico Cleiton Borges, da Subsecretaria de Reordenamento Agrário (SRA), que vai abordar quem pode acessar ao programa; quais os imóveis que podem ser adquiridos; as linhas depois da reformulação; fluxo geral e emergencial de propostas para dar conta das demandas represadas.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...