ANO: 25 | Nº: 6312
25/09/2018 Fogo cruzado

Parlamentares repudiam agressão sofrida por líder do PT

Foto: Sidimar Rostan/Especial JM

Lelinho não mencionou nomes durante discurso na tribuna
Lelinho não mencionou nomes durante discurso na tribuna
Vereadores de diferentes bancadas repudiaram, em discursos na tribuna, durante a sessão de ontem, a agressão sofrida pelo líder do PT no Legislativo bajeense, vereador Lélio Lopes (Lelinho), na semana passada, no Parque do Gaúcho. “Já fui agredido verbalmente. Fui alvo de calúnias. De maneria alguma eu revidei. Pelo contrário. Eu não tenho problema em perdoar. Fico triste porque isso vai continuar a ser feito”, desabafou.
No dia 20 de setembro, Lelinho registrou ocorrência contra duas pessoas, por agressões sofridas no Parque do Gaúcho. Eles também registraram ocorrência contra o parlamentar, apresentando versões contrárias. O caso será investigado. “Recebi muitas mensagens, de pessoas solidárias, que conhecem meu trabalho, compartilhando uma postagem que fiz nas redes sociais. Deixo que a Justiça se encarregue, agora, das medidas possíveis”, destacou o petista, em discurso na tribuna da Câmara.
Lelinho destaca que estava exercendo militância política e foi agredido por apoiadores de outro partido. Nenhum nome foi mencionado durante a sessão. Os vereadores, ontem, adotaram um discurso em tom de solidariedade ao petista. “Uma agressão não leva a nada. Lelinho sempre foi respeitoso comigo. As vezes temos algumas diferenças. Isso faz parte do jogo político. O parlamentar sempre deve ter a sua manifestação garantida sem que haja a necessidade de transferir para agressão”, pontuou o líder do governo, Graciano Aristimunha, do DEM.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...