ANO: 25 | Nº: 6404
04/10/2018 Segurança

PF investiga desvio de recursos públicos federais na região

Foto: Divulgação

Prefeito conta que a equipe da administração recebeu os policiais federais
Prefeito conta que a equipe da administração recebeu os policiais federais
A Polícia Federal deflagrou, ontem, a Operação Locus, para apurar supostas irregularidades no emprego de recursos públicos federais nas áreas de transporte escolar e da saúde em dois municípios da região. Policiais federais cumpriram cinco mandados de busca e apreensão em Rosário do Sul e em Dom Pedrito.
O inquérito policial que apura os fatos foi instaurado em outubro de 2016. As buscas de ontem decorrem da Operação Laranja Mecânica, desencadeada pela Polícia Federal em novembro de 2017. Durante a ação do ano passado, a Polícia Federal buscou desarticular a organização criminosa especializada em fraudar licitações para obtenção de contratos públicos de prestação de serviços de transporte escolar.
As investigações apontaram um esquema entre empresários para frustrar o caráter competitivo da licitação de transporte escolar nos municípios de Santana do Livramento e Dom Pedrito. Os policiais federais identificaram, além da fraude no processo licitatório, casos em que os serviços previstos são executados fora dos padrões mínimos exigidos pela lei ou pelo edital, com veículos em condições precárias.
Também foi apurado que, frequentemente, os serviços não eram prestados, embora atestados por diretores de algumas escolas em troca de caronas, viagens, festas e até mesmo pagamento em dinheiro.


Executivo
Na manhã de ontem, os agentes da Polícia Federal, sob a coordenação do delegado da Polícia Federal de Santana do Livramento, Alessandro Lopes, estiveram no prédio da prefeitura e nas secretarias da Educação, Fazenda e Governo para a juntada de documentos na investigação que envolve as cidades de Santana do Livramento, Dom Pedrito, Rosário do Sul e Uruguaiana na operação que investiga irregularidades junto às empresas que faziam o transporte escolar dessas cidades nos anos de 2016 e 2017.
Em coletiva, o prefeito Mário Augusto de Freire Gonçalves relatou que em conversa com o delegado da Polícia Federal ficou sabendo de mais detalhes do procedimento. “Trata-se de outra fase da operação, que é a busca de novos documentos (contratos, e-mails, rescisões, planilhas e empenhos) para serem juntados ao processo. Logo depois, será a fase de depoimentos que deve acontecer em breve”, esclareceu o prefeito.
A equipe da administração municipal recebeu os agentes da Polícia Federal com muita tranquilidade e reforça à população que o transporte escolar não sofrerá nenhuma alteração, pois a investigação trata dos contratos com as empresas que prestavam serviço nos anos de 2016 e 2017.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...