ANO: 24 | Nº: 6104

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
06/10/2018 Caderno Minuano Saúde

Atuação profissional do enfermeiro no cenário mundial

Foto: Divulgação

página 2 ou 3
página 2 ou 3

 

Ingressar em uma instituição educacional de nível superior é o sonho de muitos jovens. No entanto, na atualidade, estima-se que apenas 17% da população brasileira tem acesso a este nível de estudo e, assim, ainda mais importante se torna a escolha por um curso ao qual se tenha afinidade e oportunidades no mercado de trabalho, seja no setor público ou privado.
O curso superior de Enfermagem da Urcamp forma enfermeiros generalistas, habilitados a trabalharem em qualquer setor da saúde, não só no Brasil, mas também em outros países.
Buscar uma oportunidade de trabalho em território estrangeiro é uma realidade cada vez mais próxima de ser alcançada pelos enfermeiros e, para quem quer se aventurar na empreitada, é preciso muita pesquisa sobre os países que contam com programas de imigração. Se não garantem trabalho imediato, muitos países, ao menos, oferecem residência temporária para que o candidato tenha tempo hábil de ir em busca de um trabalho.
O resultado para quem passa por todo esse processo, geralmente, é positivo, garantem os enfermeiros imigrantes brasileiros que, na atualidade, desfrutam de bons salários, respeito profissional e a almejada qualidade de vida. Obter o reconhecimento ou validação do diploma de Enfermagem é outro processo que exige paciência e costuma ter um trâmite diferente em cada país, e, normalmente, é feito durante a avaliação do processo de imigração.
Nesta edição, a professora e enfermeira Carmen Helena Gomes Jardim Vaz irá explicar a atuação e como o curso da Urcamp forma os futuros profissionais.

 


Atendimento em locais do exterior

 

Segundo a professora Carmen, na área da Saúde, a demanda por médicos e enfermeiros é elevada em vários países, tendo aumentado bastante na última década. Só para citar alguns exemplos, Estados Unidos e Canadá têm grande demanda por profissionais qualificados. “Na Austrália, a procura por enfermeiros privilegia aqueles que possuem especialização em cirurgia e saúde mental. Na Alemanha, enfermeiros geriátricos ganham destaque no processo seletivo”, comenta.
A profissional também ressalta que, quando se discute sobre a procura de enfermeiros por nações árabes, a resistência em deixar o País é maior, pois, conforme ela, ainda existe um preconceito com o mundo árabe, mas é importante saber que o leque de ofertas, por lá, é "muito bom". “Existem muitas vagas para enfermeiros em Dubai, Abu Dhabi, Bahrain e Iraque. Faltam sete mil profissionais do setor nos Emirados Árabes e o processo seletivo costuma ser mais fácil do que para os Estados Unidos ou Canadá. De acordo com o Bureau of Labor Statistics (BLS), uma unidade do Departamento de Trabalho dos Estados Unidos e principal órgão do sistema estatístico americano, nas projeções de 2012 a 2022, divulgadas em dezembro de 2013, a profissão de enfermeiro está listada entre as principais ocupações em termos de crescimento de oportunidades de emprego”, complementa.
Carmen também conta que o atendimento ao paciente em território estrangeiro é um pouco diferente do praticado no Brasil, pois promove mais a autonomia do paciente, que já sai do hospital com as orientações básicas e complementares, sempre orientado pelo enfermeiro.
Entre os países da América Latina, os enfermeiros do Brasil são os que têm maior facilidade de acesso às vagas no exterior. “Uma recente mudança no programa de imigração favorece os enfermeiros que desejam imigrar para o País, sem, necessariamente, possuir uma oferta de trabalho. Salários generosos, com carga laboral que varia de 35 a 50 horas semanais, além da qualidade de vida local, são os maiores atrativos”, comenta.
De acordo com o governo canadense, a média salarial da categoria é de 51 mil dólares por ano. Já a Associação de Enfermeiros da província de Ontário (Canadá) informa que enfermeiros de carreira podem receber mais de 80 mil dólares por ano. “Nada mal para compensar dificuldades de adaptação para um brasileiro no exterior, como temperaturas negativas, aspecto superado graças à infraestrutura de algumas cidades para esse clima, com sistema de calefação e isolamento térmico em todas as construções”, completa a professora.
Finalizando, a especialista afirma que as oportunidades de trabalho e a valorização profissional são um aspecto que emergem de forma pujante no mundo inteiro, pois o enfermeiro, líder da equipe de enfermagem, além de organizar todo o processo de trabalho nas instituições de saúde, possui capacitação para realizar práticas assistenciais mais complexas, as quais são atribuições específicas do enfermeiro.
Para acompanhar este mercado caloroso, o curso de Enfermagem da Urcamp está em constante aperfeiçoamento curricular e qualificação do seu corpo docente, o qual é formado por mestres e doutores. “Buscamos a excelência para nossos egressos estarem aptos para atuação em qualquer campo profissional, com qualidade e ética profissional”, diz.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...