ANO: 25 | Nº: 6383
06/10/2018 Editorial

O futuro em nossas mãos

Sim, a expressão do título deste texto é a mais direta possível, ao menos para o atual momento. Mas é, também, oportuna devido à realidade vivenciada no País. Neste domingo, de forma decisiva ou para simplesmente antecipar uma definição posterior, no caso de um segundo turno, os brasileiros voltam suas atenções para uma votação que definirá, de fato, os rumos que o Brasil terá pela frente nos próximos quatro anos.
Todos os votos, sim, todos, poderão ser decisivos. Tão importante quanto definir os comandantes da Nação e do Estado, será a composição do Congresso. Até porque, a verdade é que o Legislativo terá, pela frente, uma missão, talvez, das mais importantes desde a redemocratização de 1988. Seja pela fiscalização, ato fundamental, seja para determinar, através da representação de cada deputado e senador, o caminho de cada pauta, fácil ou "bomba", que surgir pela frente.
Os discursos em pauta, na atualidade, estão muito além da simples ideologia econômica. São questões que atingem a própria Constituição, que comemorou, por coincidência, três décadas de promulgação, na sexta-feira que passou. O caso é que, quando instituída, passou a ser a norteadora de todo e qualquer embate mais forte. A quem desconhece, ninguém, nem mesmo o Supremo, pode decidir de forma contrária ao determinado na Carta Magna brasileira. Mas, claro, caso trechos sejam alterados, tudo, definitivamente tudo, pode mudar. Talvez para melhor, talvez para pior, mas alterará o cenário jurídico atual.
Enfim, que neste domingo, muito mais que integrar o processo democrático, os brasileiros possam dar um exemplo de conduta ao restante do planeta. Sim, eles estarão nos olhando, talvez de uma maneira tão contundente como jamais olharam. Faz parte do cenário de mercado. O Brasil é um gigante que, se ainda não alcançou um patamar de desenvolvimento satisfatório, tem condições de ir muito além, mesmo adiante das atuais potencias mundiais.
Muito mais importante de quem vencerá, é o futuro de todos nós. E, domingo, ele está em nossas mãos.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...