ANO: 25 | Nº: 6306
06/10/2018 Segurança

Projeto Bagé Vigiada poderá contar com auxílio comunitário

Foto: Divulgação

Apresentação do projeto ocorreu na quinta-feira
Apresentação do projeto ocorreu na quinta-feira

Na tarde de quinta-feira, o secretário de Segurança e Mobilidade Urbana (SSM), Luís Diego Soares, entregou para o prefeito em exercício, Manoel Machado, os detalhes do projeto Bagé Vigiada. A iniciativa visa aumentar o monitoramento da cidade através do apoio da comunidade, empresas ou entidades.

Na iniciativa, o objetivo é que empresas, entidades ou pessoas que tenham câmeras particulares instaladas nas residências ou comércios disponibilizem as imagens para o GGI-M monitorar, em conjunto o município, aumentando a possibilidade de vigilância. Com essa medida, que ainda passa por avaliação e trâmites específicos, a intenção é que o número de locais de abrangência do serviço seja triplicado.

O sistema deve funcionar da seguinte forma: os interessados informam à prefeitura, que aciona a empresa responsável que vai até o local e instalada o sistema para que as imagens possam chegar até as autoridades de segurança em tempo real. "Ressalta-se que não há nenhum custo para quem autorizar a liberação e nem há qualquer risco do equipamento ser danificado", frisa informe do Executivo.

A ideia, segundo divulgado, partiu de uma visita de Soares à cidade de Cachoeirinha, onde o projeto já foi aplicado e trouxe sucesso nos números, com 73% menos homicídios desde então. “Esperamos que haja grande adesão, pois é um serviço que vem para contribuir e somar para segurança de todos os bajeenses e com o tempo iremos nos aperfeiçoar mais ainda”, declarou Machado.

Em setembro deste ano, aliás, foi assinado o contrato para renovação de todo o parque tecnológico de câmeras do município com a empresa Digitaltec Comércio e Prestação de Serviços Ltda. O valor previsto para o trabalho é de R$ 788.074, 56 e tem vigência de quatro anos. A contratação prevê serviço de análises e inteligência e pontos de coleta de imagens com o fornecimento de materiais, instalação, treinamento, manutenção e reposição de peças.

Conforme Soares, atualmente, existem 42 câmeras de vigilância no município, monitoradas através do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGI-M), coordenadoria integrada à SSM. Com o novo contrato, serão colocados mais nove pontos, que serão definidos através de uma reunião com a Polícia Civil e Brigada Militar.

Sobre as novas câmeras que serão instaladas em breve, Soares ressaltou: “Vamos verificar os pontos mais críticos de insegurança na nossa cidade, para que, a partir de agora, o monitoramento chegue nessas regiões, facilitando o serviço dessas forças”.

Reunião no Residencial Charrua

Dentro do propósito de melhorar a segurança na cidade, o secretário integrou reunião, na noite de quinta-feira, no Residencial Charrua, a pedido dos moradores do local. De acordo com titular da SSM, que esteve acompanhado de Ritiele Pinheiro, representante da Casa Civil do Rio Grande do Sul, e de um deputado estadual, os moradores relataram que há grande criminalidade no local e que os moradores solicitaram urgência na resolução do problema.

“Há pessoas com medo de seguir morando ali. Vamos conversar com a Brigada Militar e com a Policia Civil para chegarmos a um entendimento, mas analisamos que deve ser um dos locais para receber as novas câmeras devido à insegurança dos residentes do local”, relatou.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...