ANO: 24 | Nº: 6108

Divaldo Lara

divaldolara@gmail.com
Prefeito de Bagé
08/10/2018 Divaldo Lara (Opinião)

A democracia a serviço da honestidade

O dia da democracia e de, mais uma vez, o povo brasileiro escolher quem o representa, chegou. Até o momento do fechamento desta coluna, ainda estávamos em meio às eleições, ainda sem nenhuma definição.
Torço para que hoje, ao ler esta coluna, já publicada no jornal, possamos comemorar, acima de tudo, a vitória da Justiça neste país, ou que ela esteja bem encaminhada para um segundo turno.
É hora de deixar de lado paixões por doutrinas partidárias, que tentam, a todo custo, se sobrepor às da nossa Nação. É hora de colocarmos a mão no peito e pensar, acima de tudo, no nosso país, como fazíamos, e devemos continuar a fazer, nos tempos de escola ao ouvir e cantar com orgulho o Hino Nacional.
Como em muitas manifestações já vem sendo pronunciado, nossa bandeira é verde e amarela e nenhuma outra está acima disto. Nenhuma!
Mudar de opinião não é errado, nem vergonhoso, quando isso represente melhorias, para dar frente a pensamentos que contribuam com uma nova realidade, pois já tivemos tempo suficiente escolhendo pessoas erradas. Bagé aprendeu isso mais cedo que muitos outros lugares e temos provado que a escolha que fizeram foi a correta, com muito trabalho. Não podemos mais persistir em erros do passado, com pessoas que já tiveram tempo suficiente para nos provar que sua forma de governar seria a correta e que hoje nos envergonham. Alguns vão dizer, 'ah, ele está falando do PT'. Claro que estou falando do PT! Eles, de novo!
Recebo constantemente críticas fanáticas, dizendo para eu cuidar da cidade ao invés de apontar os erros deste partido que nos governou por 16 anos. Entretanto, não há como desvincular as duas coisas e apontarei sempre esses erros, pois se hoje os bajeenses vivem situações que não são as desejadas por qualquer cidadão, é porque esteve abandonada durante todo esse período. Quanto a cuidar da cidade, temos trabalhado manhã, tarde e noite para isso e muito já foi recuperado. E a grande maioria percebe isso, como mostram os resultados de duas pesquisas que nos apontam, respectivamente, em agosto e setembro, com 74% e depois 75% de aprovação do nosso governo.
Costumo dizer sempre que nosso maior problema foi ter assumido uma cidade, não do zero, mas do negativo. Se não fossem as dívidas milionárias, incluindo um empréstimo de 6 milhões feito em dólares, que hoje somam 22 milhões, quanto mais poderíamos estar fazendo. E há quem defenda esses governantes ainda, sem perceber que estes 22 milhões são tirados do imposto que eles mesmos pagam. Se reclamo e exponho essa situação, é para que as pessoas saibam onde está sendo usado o seu próprio dinheiro.
Está provado, tanto para Bagé quanto para o Brasil que a forma de governar do PT não deu certo. Bagé levou muito tempo para se dar conta disso e o Brasil ainda está neste processo de aprendizado. Assim como há 2 anos atrás, vencemos as eleições aqui em Bagé, tirando o PT da frente do governo, com 75% de aceitação nas urnas, e posteriormente, quando um movimento bajeense expulsou o maior líder petista daqui ao tentar iniciar sua caravana, iniciamos um processo que começou a ser copiado pelo resto do País. Espero que estas eleições seja mais um símbolo disto, que continuemos dando esse exemplo de limpeza, de força e garra, mostrando desejo de que a honestidade volte a reinar sobre toda nossa Nação.
Que isso comece com o resultado de hoje! E, se necessário, que este pensamento seja levado para um segundo turno.
Finalizo com um agradecimento e reconhecimento especial a todos os mesários, secretários, presidentes de mesa, trabalhadores do município que estão sempre servindo à democracia e a quem fiz questão de percorrer as seções eleitorais durante o domingo de eleição, como faço há muitos anos, para cumprimentar pessoalmente.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...