ANO: 25 | Nº: 6404
08/10/2018 Segurança

Justiça Eleitoral afirma que 1º turno das eleições teve bom andamento em Bagé

Foto: Tiago Rolim de Moura

Juiz titular da 142ª, Ricardo Pereira de Pereira
Juiz titular da 142ª, Ricardo Pereira de Pereira
Os dois juízes responsáveis pela eleição junto às seções de Bagé e região avaliaram o decorrer do pleito como tranquilo e com poucos registros de crimes eleitorais.

A juíza da 7ª Zona Eleitoral, Naira Melkis Caminha, disse ter uma avaliação positiva da votação. "Boca de urna não está acontecendo e procedeu tudo na normalidade", mencionou.

Naira contou que nove aparelhos tiveram problemas durante o pleito, na 7ª Zona. "As urnas danificadas foram substituídas por urnas de contingência e ao serem retiradas pegamos os "flash drives" (um pendrive) com os votos já registrados e colocamos na nova urna e, após, segue computando normalmente. O voto só é válido quando aparece a palavra fim. Se deu problema no meio da votação, a pessoa tem que votar novamente", complementou.

A juíza comentou que, durante todo o dia de eleição, não houveram situações complicadas. "Além da metade oeste da cidade, também temos os eleitores de Aceguá, que fazem parte da 7ª zona", disse.

Conforme o juiz da 142ª zona eleitoral, Ricardo Pereira de Pereira, a eleição transcorreu dentro da normalidade. "Na região, foram duas urnas que ficaram com defeito e foram substituídas pelas urnas de contingência e não tivemos relatos de crimes eleitorais", informou. Ele também contou que foram recolhidos, entre sexta-feira e domingo, cartazes em residências particulares que armazenavam material irregular, com candidato indeferido na sede do partido.

Material apreendido

No final da tarde de sexta-feira, uma medida cautelar foi tomada pela Justiça Eleitoral, após uma denúncia. Segundo o juiz eleitoral Ricardo Pereira de Pereira, uma denúncia de que o Partido dos Trabalhadores estaria com material irregular, onde constava o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, levou os oficiais até a sede do partido. "Encontramos no partido material irregular e foi recolhido", explicou.

Conforme o presidente do PT em Bagé, Flávio de Borba (Dajúlia), na terça-feira, a ordem do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de recolhimento foi obedecida pela sigla. "Colocamos na sede do partido, não estávamos distribuindo. Apenas guardamos. Os oficiais de Justiça foram até o comitê do deputado estadual Luiz Fernando Mainardi e não havia nenhum material irregular", disse.

Dajúlia conta que foram recolhidas duas caixas, com cerca de 4 mil panfletos com o nome do ex-presidente Lula. "Estavam embaixo de uma escada. Eles chegaram e apreenderam", contou.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...