ANO: 24 | Nº: 6108

Dilce Helena Alves Aguzzi

dilcehelenapsicologa@gmail.com
Psicóloga
09/10/2018 Dilce Helena Alves Aguzzi (Opinião)

A pergunta é o que importa

"Eu não procuro saber as respostas, procuro compreender as perguntas."

A frase atribuída a Confúcio é marcante exatamente por sinalizar mais atenção a determinadas questões que propriamente às respostas que podem surgir.
Mais importante que responder é perguntar, é querer o questionamento, é absorver a atmosfera que envolve o ato de jogar no ar as questões e delas se envolver.
O que pode acontecer? Talvez nunca cheguemos a grandes conclusões ou postulados. Talvez ainda nem sequer consigamos responder ou lembrar a pergunta inicial, mas questionar de verdade e tentar mergulhar nessa busca proporciona conhecer um pouco mais a si mesmo e a como lidar com as próprias reações diante das surpresas que a vida e o mundo oferecem.
Outro dia vi um livro de anotações que provoca com esta proposta, uma pergunta por dia, 365 questões para responder e com espaço para fazer isso durante quatro anos e ir comparando nossas respostas em anos anteriores. Pareceu chato?
Eu achei incrível a proposta de divagar livremente tentando responder questões pessoais e universais. Chato mesmo é procurar respostas prontas no Google ou saber o que os outros estão fazendo constantemente.
Minhas sugestões para tentar entrar neste universo de reflexão e autoconhecimento:
- Quem sou eu verdadeiramente?
- Como creio que os outros me vêm?
- O que é viver?
- O que é importante para mim? E o que é essencial?
- Porque acredito que devo existir?
- Minha existência contribui com o mundo de alguma forma? Como?
- Já tentei verdadeiramente compreender outra pessoa?
Nenhuma dessas questões tem resposta certa. Talvez nem seja possível respondê-las. Mas tentar é revelador e autorregulador de nós mesmos e nossas intenções sobre a terra. Pensar sobre elas e criar outras ainda melhores e mais profundas proporcionaria aproximação com nosso ser mais interior e verdadeiro. E, parafraseando o recém-premiado Nobel da Literatura Bob Dylan, "a resposta. meu amigo, está soprando ao vento!"

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...