ANO: 25 | Nº: 6208
09/10/2018 Cidade

Profissionais da área da saúde participam de palestra sobre cultura do machismo

Foto: Antônio Rocha

Visitadores do PIM, agentes de saúde e atendentes de Cras e postos de saúde participaram da atividade
Visitadores do PIM, agentes de saúde e atendentes de Cras e postos de saúde participaram da atividade

Visitadores do programa Primeira Infância Melhor (PIM), agentes de saúde, funcionários dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), orientadores educacionais e assistentes sociais participaram, na tarde de sexta-feira, da quarta etapa do projeto Tecendo as Redes, promovido pela Coordenadoria da Mulher e Direitos Humanos.

A responsável pela coordenadoria, Cândida Navarro, explica que o projeto busca aproximar e afinar o trabalho das entidades e das redes responsáveis pelo atendimento de mulheres em situação de vulnerabilidade social e violência doméstica. A primeira etapa apresentou as redes de atendimento no setor público, como a coordenadoria e os centros de referência; na segunda etapa, foi abordado o panorama jurídico do atendimento, como a aplicação da Lei Maria da Penha; a patrulha Maria da Penha foi responsável pela apresentação da terceira etapa, mostrando a forma de monitoramento dos casos de violência doméstica em que há medida protetiva expedida.

A proposta foi mostrar de que forma a cultura do machismo está entranhada na sociedade, com palestra ministrada pela psicóloga Jacqueline Quintana. “Precisamos partir da educação para mudar o pensamento e o comportamento das pessoas sobre a forma com que enxergam o papel do homem e o papel da mulher na sociedade”, destaca.

Cândida conta que a média de atendimentos diários na coordenadoria é cinco, com média mensal de 150. Contudo, esse número corresponde a uma pequena parte das agressões, sendo que apenas um de cada cinco casos de violência doméstica é denunciado. “E por isso chamamos hoje funcionários de postos de saúde e PIM, pois, muitas vezes, eles são a linha de frente, os primeiros a perceber casos de violência. Queremos despertar uma maior sensibilidade, um olhar mais solidário e observador para esses profissionais, para que possam orientar as mulheres vítimas de violência”, ressalta.

A próxima etapa do projeto Tecendo as Redes acontece no próximo dia 23, com a participação da defensora pública, Luciane Navarrina Trindade.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...