ANO: 25 | Nº: 6256

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
12/10/2018 José Artur Maruri (Opinião)

Embainha tua espada

"Embainha tua espada..." Jesus (João, 18:11)
As dificuldades nos relacionamentos tem sido notórias.
Infelizmente, o terror das guerras se transmutou para os relacionamentos interpessoais através das agressões verbais e dos desfazimentos de amizades. Os conflitos estão cada vez mais presentes e com muito mais intensidade.
As eleições gerais, às quais estamos todos submetidos de uma forma ou outra, exacerbam ainda mais as necessidades emocionais que os seres humanos detêm.
Nessa linha, é válido relembrarmos os ensinamentos do Mestre para que, ao menos, os espíritas cristãos não repliquem as atrocidades que presenciamos nos últimos dias.
Emmanuel, através da psicografia do sempre lembrando Francisco Cândido Xavier, leciona que quando lutamos contra os semelhantes, causamos os mesmos desvarios de uma guerra, dentro de nós.
Vejamos o que relata o Espírito amigo: “(...) Sustentando a contenda com o próximo, destruidora tempestade de sentimentos nos desarvora o coração. Ideais superiores e aspirações sublimes longamente acariciados por nosso espírito, construções do presente para o futuro e plantações de luz e amor, no terreno de nossas almas, sofrem desabamento e desintegração, porque o desequilíbrio e a violência nos fazem tremer e cair nas vibrações do egoísmo absoluto que havíamos relegado à retaguarda da evolução”.
Como dito anteriormente, lembremo-nos da palavra do Senhor: -"Embainha tua espada..."
Alimentando a guerra com os outros, perdemo-nos nas trevas exteriores, esquecendo o bom combate que nos cabe manter em nós mesmos.
Façamos a paz com os que nos cercam, lutando contra as sombras que ainda nos perturbam a existência, para que se faça em nós o reinado da luz.
Como bem diz Emmanuel, “de lança em riste, jamais conquistaremos o bem que desejamos. A cruz do Mestre tem a forma de uma espada com a lâmina voltada para baixo. Recordemos, assim, que, em se sacrificando sobre uma espada simbólica, devidamente ensarilhada, é que Jesus conferiu ao homem a bênção da paz, com felicidade e renovação”.
Em dias atribulados, não nos esqueçamos das lições imorredouras do Cristo Jesus.

(Referências: Francisco Cândido Xavier. Fonte Viva. Pelo Espírito Emmanuel. FEB. Capítulo 114)

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...