ANO: 24 | Nº: 6185

Fernando Risch

fegrisch@gmail.com
Escritor
19/10/2018 Fernando Risch (Opinião)

O triste fim de Patrício

Era uma vez Patrício, um estudante muito popular na escola. Patrício tinha vários amigos, que o seguiam cegamente, além de alguns puxa-sacos que não gostavam muito dele, mas surfavam na sua popularidade. O rival de Patrício era Tuciano, nascidos praticamente ao mesmo tempo, na mesma maternidade. Tuciano já foi o mais popular, mas, com o tempo, acabou sendo preterido por Patrício.

Desde que Patrício se tornou o centro das atenções, Tuciano tentou derrubá-lo de todas as maneiras, querendo voltar a ser o mais popular novamente, mas nunca conseguiu, apesar de Patrício pisar na bola com seus amigos, traí-los e sacaneá-los. E Patrício, por sua vez, jamais importou-se com isso, embebeu-se no poder da popularidade e pensou que jamais Tuciano voltaria a tomar o seu lugar. Pior que isso, toda vez que era criticado por suas atitudes errôneas e arrogantes, Patrício culpava os outros, criava teorias conspiratórias, dizendo que tudo era um complô de Tuciano.

Certo dia, no meio de um imenso bate-boca entre Patrício e Tuciano, em que ambos se apontavam dedos, dizendo que um era culpado pelos problemas do outro, e seus amigos ficaram atônitos, não sabendo quem seguiriam nesta briga, um novo estudante entrou na escola. Fastino era um aluno repetente, bem mais velho, vindo de outra cidade, um forasteiro que não estava habituado àquela relação de brigas e amizades em torno da popularidade. Fastino era soturno e sisudo, truculento e violento.

Enquanto Tuciano apontava os erros de Patrício, Patrício não reconhecia seus próprios defeitos, incapaz de pedir desculpas, e acusando Tuciano de fazer o mesmo que ele fazia quando era o mais popular, se virando contra os amigos que sempre teve e os puxa-sacos que sempre aturou. Fastino, esperto, se aproveitou: olhou para os amigos e puxa-sacos e avisou-lhes que ambos, Patrício e Tuciano, estavam errados e, na sua inteligência de antanho, mostrou que ele era o mais popular.

Tuciano acabou inferiorizado, minúsculo do tamanho de um mero puxa-saco, mas Patrício se rebelou, enfrentando Fastino de frente, ainda alegando que era o mais popular da escola. Mas Patrício ainda era incapaz de reconhecer seus defeitos, cobrando, brigando e tripudiando daqueles que sempre estiveram ao seu lado; ninguém mais confiava na sua palavra, tudo pela humildade que tardava chegar.

Assim, Fastino se manteve hegemônico, e quando alguém o criticava, ele se mostrava violento e agressivo. Quando todos tiveram medo de confrontar Fastino, era tarde demais. Fastino eliminou seus concorrentes populares e manteve sua popularidade, até o fim de sua vida, na base do medo, violência e ameaça.

Patrício até chegou a reconhecer seus erros, mas era tarde demais. Tarde demais.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...