ANO: 25 | Nº: 6402
29/10/2018 Segurança

DPPA registra 10 casos de Maria da Penha no final de semana

Foto: Divulgação

Patrulha da BM realiza fiscalização
Patrulha da BM realiza fiscalização

Somente entre a noite de sábado e a madrugada de domingo, a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) registrou 10 ocorrências da Lei Maria da Penha (Violência Doméstica), todas com pedidos de medidas protetivas.

Um dos casos, segundo denúncia, ocorreu no bairro São Jorge. A vítima teria sido agredida pelo marido, com quem convivia há mais de cinco anos. Ela contou, no registro, que se atrasou para chegar em casa, e, por motivo de ciúmes, o homem a agrediu, primeiro a empurrando, que causou a queda da mulher e escoriações na cabeça, costas e cotovelo. A vítima também destacou que ele lhe deu um soco no rosto, tudo na frente do filho do casal, menor de idade.

Já no bairro Passo das Pedras, uma mulher contou que o seu filho, que é usuário de drogas, quebrou o guarda-roupa, a geladeira, pois ela não tinha dinheiro para lhe dar. Ele também teria entrado em luta corporal com a vítima.

No centro, uma mulher de 51 anos comunicou que seu marido, com quem é casada há mais de 30 anos, na noite de sábado, mostrou-se mais agressivo, empurrando-a contra a parede e proferindo palavras de baixo calão. Consta que os filhos tentaram intervir e ela intercedeu para que não ocorresse algo "pior".

Outra mulher, moradora do bairro Tiaraju, comunicou, na DPPA, que seu ex-companheiro foi até a sua residência ameaçá-la de morte. O acusado teria dito que se a visse na rua iria lhe matar. Por medo, ela registrou o boletim de ocorrência e pediu medidas protetivas da Lei Maria da Penha.

No bairro Santa Cecília, uma denunciante contou que tinha um companheiro, há cinco meses, e, que, na noite de sábado, o homem chegou embriagado para buscá-la no trabalho e, depois, ainda no caminho, ele a ofendia com palavras de baixo calão e, durante o trajeto, ele lhe deu socos, tapas e a pegou pelo pescoço. A vítima, com muito medo, conseguiu descer do veículo e pediu carona para um motociclista que estava passando. Ela ainda disse que o acusado a seguiu próximo a sua casa.

Outra situação ocorreu em Dario Lassance, em Candiota. A vítima contou que vivia, há quatro anos, com o companheiro e que, na noite de sábado, o mesmo chegou muito embriagado e começou a agredi-la com socos e chutes. Consta que, inclusive, ele teria tentado pegar um facão e as facas para desferir golpes na vítima. No domingo, pela manhã, o acusado teria continuado com as agressões, deixando-a machucada, após desferir um soco em seu rosto. A Brigada Militar foi chamada e os agentes conseguiram retirar o acusado do local. Ela pediu medidas protetivas de urgência, temendo pela sua integridade física.

Uma jovem, moradora da Cohab, registrou, na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), que seu ex-companheiro, com quem teve um relacionamento de um ano e meio, a importuna pelo telefone celular e diz que não aceita o término da relação. O acusado faz ameaças e, anteriormente, a forçou a manter relações sexuais com ele. Ela contou que, além de ameaçá-la de morte, ele ataca a família.

No bairro Mascarenhas de Moraes, a vítima, uma mulher grávida, contou que o seu companheiro, pai da criança que espera, é usuário de cocaína. Consta, no boletim de ocorrência, que o mesmo chegou extremamente agressivo, descontrolado e ciumento em casa, xingando-a com palavras de baixo calão e a empurrou. Ela solicitou medidas protetivas, pois teme por sua gestação, alegando que é ameaçada de morte.

Próximo à Escola Kalil a Kalil, no bairro Stand, uma mulher comunicou que foi ameaçada pelo seu marido. Ela contou que descobriu uma relação extraconjugal dele e que o homem ficou incomodado e queria que a vítima deixasse a residência. Ainda em discussão, o homem a ameaçou de morte e pegou a motocicleta, passando com a roda por cima do pé da vítima, que ficou com o pé roxo e com algumas unhas quebradas.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...