ANO: 26 | Nº: 6575
02/11/2018 Segurança

Família de apenado morto, no presídio de Bagé, irá processar o Estado por negligência

Foto: Divulgação

Vítima Luan Monteiro Scholante, de 27 anos
Vítima Luan Monteiro Scholante, de 27 anos

A família de Luan Monteiro Scholante, 27 anos, apenado que foi vítima de homicídio ocorrido no interior do Presídio Regional de Bagé (PRB), irá processar o Estado do Rio Grande do Sul por negligência cometida contra ele.

A mãe do detento assassinado, Fabiana Gonçalves Monteiro Scholante, conversou, na tarde de ontem, com a reportagem do Jornal MINUANO e destacou que os fatos ocorridos no interior da casa prisional não ocorreram, de fato, como divulgado. "Meu filho estava em uma cela de isolamento há 24 dias, porque estava doente. Tinha tuberculose e, em nenhum momento, nós, familiares, pudemos auxiliá-lo, ou dar o tratamento necessário nesse caso", explicou.

Fabiana contou que ele estava preso pelo crime de assalto e fazia três anos que cumpria pena no local. "A situação dele era difícil, ele estava doente. Íamos em todas visitas. Estava bem debilitado e eles, somente, diziam que iam levá-lo no médico, mas nunca deixaram a gente ajudar no tratamento", completou.

Quanto ao fato da morte do apenado, ela argumentou que houve descuido dentro da casa prisional e, por isso, questiona a segurança dos apenados. "Como alguém abre um buraco numa parede e ninguém vê nada? Meu filho estava todo machucado. Seu corpo estava todo cortado. No rosto, marcas de mais de 10 cortes de faca. Estamos revoltados", comentou a mãe de Scholante.

Finalizando, Fabiana ainda sustentou que foi privada de auxiliar o filho. "Nossa família é séria, trabalhadora, tudo isso que aconteceu é um horror. Me privaram de ajudá-lo", concluiu.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...