ANO: 25 | Nº: 6378
06/11/2018 Cidade

Início das obras do Jóquei Clube depende apenas de liberação da área

Foto: Antônio Rocha

Local aguarda saída de arrendatário
Local aguarda saída de arrendatário

O início da obras da pista de cancha reta na área que irá abrigar o Jóquei Clube da Rainha da Fronteira, empreendimento previsto para ser erguido na zona leste da cidade, às margens da estrada do Passo do Perez, está aguardando a saída de um arrendatário.

O proprietário da área e um dos idealizadores do projeto, Vanderlei Caldeira, salienta que está esperando a decisão da Justiça para que o arrendatário entregue o espaço. A iniciativa, trabalhada há cerca de seis meses, conta com o terreno de 40 hectares e a estimativa de que, em 90 dias, a cancha reta de 700 metros já esteja concluída, dando começo aos trabalhos. O projeto foi lançado no final de outubro e a área foi dividida em lotes. Segundo Caldeira, o início da terraplenagem deve ocorrer ainda este mês.
O espaço irá abrigar toda a estrutura da vila hípica, com cocheiras e quartos para os jóqueis, além de comércios específicos com rações e produtos veterinários. Outra parte servirá para cancha de corridas de galgos, cascalheira e até um campo de polo e outro para corridas de carro.

De acordo com um dos participantes do projeto e responsável pela área do Jóquei Clube, Manoel Setembrino Pereira, já estão sendo convidadas pessoas para integrar a comissão de corridas e assumir a presidência do empreendimento.

Loteamento

Denominado Loteamento Pinheiros, a área para o Jóquei Clube será de 25 hectares. Ainda dentro da mesma área, devem ser realizadas iniciativas paralelas, como um parque de eventos e uma praia artificial com área para acampamento.

Um dos lotes, segundo Caldeira, está sendo negociado com um posto para abastecimento de veículos movidos a gás, algo inédito na Rainha da Fronteira. Conforme o proprietário da área, cada empresa que adquirir um lote será responsável pela construção; a área foi dividida em 22 lotes. Os 10 primeiros contam com 10 metros de frente por 50 de fundo e aguardam a saída do arrendatário para finalizar os negócios. Os lotes serão comercializados por uma entrada de R$ 10 mil, em 10 vezes de R$ 1 mil. Os últimos 12 lotes terão um investimento inicial de R$ 11 mil, em 10 vezes de R$ 1,1 mil.

O restante do campo, 15 hectares, será utilizado para a produção de orgânicos, nos moldes de Colônia Agrícola, para, também, possibilitar a capacitação de novos praticantes das atividades.
O espaço será utilizado, ainda, para a construção de uma clínica de reabilitação para dependentes químicos, exclusiva para o público feminino.

Construção

De acordo com Caldeira, a realização das canchas de corrida foi viabilizada devido a uma permuta com uma empreiteira. A empresa ficou com um lote da área e, em troca, fará a obra. "Já recebemos as mudas de pinheiros que serão plantados no local e foi colocada brita para dar início às obras", disse.

O investimento total no projeto está orçado em torno de R$ 14 milhões.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...