ANO: 25 | Nº: 6378
07/11/2018 Luiz Coronel (Opinião)

Esporas do Vento

Quando o Rio Grande era grande
Era maior que o mundo
Era maior que o mundo
E um pouco menor que o País.

Com as esporas do vento
Galopei o mar e a serra.
Perguntei por esse pampa
Que se passa com esta terra.

Pra falar bem a verdade
A gente não "tá" feliz.

Ai meu pai, minha mãe, minha casa
Ai meus sonhos de rapaz.
Os ponteiros do relógio
Não podem girar para trás.

Quero-quero se assustou
Com o toque do celular.
No galpão se ouve novelas
O tempo não sabe parar.

Só de mitos e lembranças
São trinta arroubas e meia.
A carreta da história
Não pode andar de tão cheia.

Pra falar bem a verdade...

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...