ANO: 24 | Nº: 8084
09/11/2018 Editorial

Eco-bicicletário, a pauta da vez


Criar espaços que permitam o uso de bicicletas, em especial em grandes cidades, é medida essencial de qualquer gestão que vislumbrem, muito além de tornar o ambiente oportuno para uma vida mais saudável, mas também, uma política básica e até eficaz para melhorar a mobilidade urbana. E em meio a tais anseios, toda nova ideia poderá ser vista com bons olhos, seja por praticantes do ciclismo ou não.
A mais nova iniciativa local, anunciada ontem, consiste em algo denominado de Eco-bicicletário. Proposta pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDI) e a empresa PVI Energia Solar, a ação, que é inédita, prevê a implantação de um protótipo, junto à ciclofaixa da avenida José do Patrocínio. O equipamento, segundo anunciado, contará com estacionamento para quatro bicicletas, alimentado com geração de energia solar, sistema Off Grid, o que significa, nas palavras do Executivo, que não precisa estar conectado à rede elétrica.
A ideia, de forma resumida, é disponibilizar uma estrutura que, além de servir como local para que as bicicletas sejam guardadas, garantam segurança aos proprietários. Além disto, tal estrutura disponibilizará, ainda, um compressor de ar para enchimento e calibragem de pneus, algo sempre necessário para os adeptos de duas rodas.
Pode, de fato, não ser uma medida decisiva para estimular o uso das bicicletas. Ao menos no comparativo com a criação de mais espaços para o tráfego. Mas é, sem dúvida, uma sugestão interessante para quem já utiliza ou quem tem interesse em se tornar adepto, mas, ainda, tem certos receios. No mais, contudo, tais estruturas, se alcançaram novas áreas da cidade, ao longo do tempo, poderão sim se tornarem determinantes. O sucesso desta ou de outra empreitada que melhore a mobilidade sempre devem ser bem-vindas. Esse é um caso.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...