ANO: 25 | Nº: 6433
12/11/2018 Fogo cruzado

Campanhas de Lara, Mainardi e Hamm custaram mais de R$ 2,3 milhões

Foto: Reprodução JM

O balanço final das despesas será avaliado pela Justiça Eleitoral
O balanço final das despesas será avaliado pela Justiça Eleitoral

Os três representantes da região reeleitos, no pleito de outubro, declararam, juntos, gastos superiores a R$ 2,3 milhões. As campanhas de Luís Augusto Lara, do PTB, e Luiz Fernando Mainardi, do PT, para a Assembleia Legislativa; e de Afonso Hamm, do Progressistas, para a Câmara dos Deputados, porém, movimentaram valores bem inferiores aos limites estabelecidos pela nova legislação.
O balanço final de despesas, que será avaliado pela Justiça Eleitoral, foi informado pelos parlamentares na semana passada. Os valores não alcançaram os limites, fixados em R$ 2,5 milhões, para deputados federais, e em R$ 1 milhão, para postulantes ao parlamento gaúcho. Em 2014, quando não havia o limite, o Mainardi informou, à Justiça Eleitoral, uma despesa de R$ 1.275.400,59; Lara declarou despesa de R$ 632.526,03; enquanto Hamm totalizou R$ 1.462.645,28.
Em 2018, Mainardi recebeu R$ 214.869,64 e declarou gasto total de R$ 119.524. Do montante arrecadado, R$ 48 mil (22.34%) foi transferido para a campanha do petista pelo diretório nacional do partido. O candidato também arrecadou R$ 4.420 (2.06%) com uma vaquinha virtual, R$ 141,2 mil em doações de pessoas físicas (65.71%) e R$ 21.249,64 em recursos próprios (9.89%). O petista gastou R$ 87.854,10 (73.50%) com publicidade por materiais impressos, R$ 13.704,00 (11.47%) em despesas com pessoal e R$ 8.050 (6.73%) com a locação de três imóveis.
Lara declarou receita e despesa de R$ 743.486. O petebista declarou R$ 494.986 em recursos próprios (66.58%), R$ 178,5 mil em doações de pessoas físicas (24.01%) e R$ 70 mil em doações do partido (9.42%). O petebista gastou R$489.659,04 (65.86%) com publicidade por materiais impressos, R$ 125.296,09 (16.85%) com atividades de militância e mobilização de rua e R$ 29.277,88 (3.93%) com criação e inclusão de páginas na internet.
Hamm declarou uma receita de R$ 1.552.840 e uma despesa de R$ 1.465.212,43. Mais de 96% (R$ 1.492.040) corresponde a repasses do diretório nacional do Partido Progressista. O parlamentar também declarou R$ 52,3 mil em doações de pessoas físicas (3.37%) e R$ 3,5 mil em recursos próprios (0.23%). O progressista gastou R$ 971.006,19 (66.27%) com serviços prestados por terceiros, R$ 318.743,00 (21.75%) com material impresso, R$ 48.644,00 (3.32%) com a locação de 13 imóveis. Hamm declarou gasto de R$ 20 mil com publicações nas redes sociais.


Legislação
Em 2018, a campanha eleitoral de cada candidato também seguiu legislação específica sobre limites quantitativos para a contratação direta ou terceirizada de pessoal para a prestação de serviços referentes a atividades de militância e mobilização de rua. Os postulantes à Câmara dos Deputados puderam contratar 960, enquanto os postulantes à Assembleia Legislativa puderam contratar até 480.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...