ANO: 24 | Nº: 6184
15/11/2018 Cidade

Leilão de linhas de transmissão projeta lote para Candiota e geração de mais de 6 mil empregos

Foto: Arquivo JM

Empreendimento pretende fazer ligação até Guaíba
Empreendimento pretende fazer ligação até Guaíba

O edital com as regras do segundo leilão de transmissão de energia de 2018 foi aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na terça-feira. O certame, marcado para 20 de dezembro, vai licitar 16 lotes de empreendimentos, em 12 estados, com investimento previsto de R$ 13,17 bilhões. Candiota é um dos locais por onde irão passar as linhas projetadas. A previsão é que o número de empregos gerados, somente no lote onde está a obra que abrange a Capital do Carvão, ultrapasse 6 mil postos.

As instalações licitadas vão acrescentar ao Sistema Interligado 7.152 quilômetros (KM) de linhas de transmissão e 14.828 em capacidade de transformação (MVA). O prazo para entrada em operação comercial dos empreendimentos varia de 48 a 60 meses. No caso de Candiota, a empreitada prevista consiste numa linha ligando o município até Guaíba, em um trabalho com investimento previsto de R$ 2,4 milhões.

O certame foi definido, pela Aneel, como o maior leilão de infraestrutura realizado nos últimos quatro anos. Nele, serão ofertados projetos de instalações de transmissão da Eletrosul que tiveram a concessão revogada pelo Ministério de Minas e Energia no dia 1º de novembro. Em outubro deste ano, o governo do Estado publicou uma nota oficial informando a desistência da empresa chinesa Shanghai Electric, que iria realizar a obra, já que a mesma não apresentou garantia para assinar o Termo Aditivo ao Contrato de Concessão em que se comprometia a realizar investimento de R$ 4 bilhões no Rio Grande do Sul. Em novembro de 2017, um acordo foi firmado pela Eletrobras, Eletrosul, a empresa chinesa Shanghai Electric e o Clai Fund (Fundo Chinês para Investimento na América Latina), para a viabilização de projetos de expansão do fornecimento de energia elétrica no Estado.

Expectativa

Para o prefeito de Candiota, Adriano Castro dos Santos, as linhas de transmissão são uma das vertentes de defesa do município nas esferas estadual e federal, juntamente com o Consórcio Público Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental dos Municípios da Bacia do Rio Jaguarão (Cideja). Ele ressalta que o impacto de qualquer obra do porte de uma linha de transmissão é importantíssimo, principalmente com a previsão de gerar mais de seis mil empregos.

Conforme Santos, o maior impacto deve ser a criação de outras formas de desenvolvimento, abrindo a possibilidade da carboquímica, da eólica e das pequenas hidroelétricas. Ele explica que a região é desprovida de linhas de transmissão, o que faz barrar os investimentos. “A linha é importante para isso, porque podemos prospectar novos investimentos em geração de energia e sabemos que poderemos colocar no sistema interligado nacional. Com o número atual de linhas de distribuição não é possível. A obra projeta uma grande expectativa para o futuro”, comenta.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...