ANO: 25 | Nº: 6307
17/11/2018 Fogo cruzado

Riesgo afirma que Partido Novo pretende fortalecer núcleo em Bagé

Foto: Divulgação

Deputado eleito, em outubro, vai palestrar na cidade neste sábado
Deputado eleito, em outubro, vai palestrar na cidade neste sábado
A agenda de apresentação do Partido Novo, que terá atividade neste sábado, em Bagé, integra uma espécie de planejamento que visa o fortalecimento do núcleo formado pela legenda no município. Eleito em outubro, para a Assembleia Legislativa, Giuseppe Riesgo destaca, inclusive, que a intenção é formar lideranças para a disputa do pleito municipal de 2020. “Ainda é cedo para garantir que teremos candidaturas. Mas a proposta é essa”, observa.
A atividade na Rainha da Fronteira, no restaurante Cinturão, às 20h30min, na avaliação de Riesgo, representa uma forma de literalmente expor as diretrizes do Novo. “Serve para apresentar a forma de atuação do partido. Essas reuniões são ferramentas importantes, porque permitem o contato direto com as pessoas. Por isso convidamos aqueles que ainda não conhecem o Novo. É uma forma de conhecer o partido não apenas por meio da Internet ou de entrevistas”, destaca.

Bandeiras
Riesgo, que é natural de Santa Maria, tem 22 anos. Ele é advogado e estreou nas eleições em 2018. O representante do Novo, eleito com 16.224 votos, tem bandeiras de atuação bem definidas. Ele adianta que a proposta de duplicação da RSC 287 (que corta o Estado, no sentido leste-oeste), através de parceria público-privada, será prioridade do mandato. O deputado eleito também pretende implementar um trabalho de revisão de leis. “Pretendemos revogar legislações obsoletas, ineficientes e que atrapalham os empreendedores”, específica, ao destacar que a medida integra uma perspectiva de desburocratização.
Em entrevista ao Jornal MINUANO, Riesgo destacou que pretende dar exemplo abrindo mão de benefícios garantidos aos deputados. Ele já declarou que pretende cortar gastos com verba de gabinete, por exemplo, e que existe uma definição no sentido de devolver salários extras, geralmente pagos quando o parlamentar assume ou deixa o exercício de mandatos. “Não acho justo receber sem trabalhar”, justifica. O parlamentar eleito destaca, ainda, que deve direcionar a atuação para auxiliar na redução de despesas. “As gestões focam muito na questão da receitas, mas é preciso atentar mais para a qualidade dos gastos”, argumenta.

Posicionamento
O deputado eleito adianta que o Novo deve assumir uma posição independente no parlamento gaúcho. “Não fomos eleitos para ser oposição. Por isso, vamos atuar conforme nossas crenças”, reforça, ao destacar que o partido deve adotar uma postura de diálogo. “Nos identificamos, por exemplo, com a proposta de privatização de empresas. Nessa matéria, o governador eleito, Eduardo Leite (do PSDB), terá nosso apoio. Mas somos contra aumento de imposto. Então, não vamos apoiar projetos neste sentido. É assim que vamos atuar, de maneira independente”, reitera.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...