ANO: 25 | Nº: 6381
21/11/2018 Editorial

Ataque velado à segurança

Pode até parecer, para um ou outro cidadão, tratar-se de algo raro, mas sem muita gravidade. Talvez. Mas dificilmente será algo, no mínimo, aceitável. Ainda mais para um País que clama por mais segurança, problema que, mesmo diante de oscilações, assusta cada vez mais.
Pois é com esta breve análise que se pode avaliar o caso registrado, na madrugada de ontem, em Dom Pedrito. O artefato explosivo identificado em frente à residência de um casal que atua em diferentes órgãos de segurança da Capital da Paz, mesmo passível das devidas apurações, extremamente necessárias, apontam, neste momento, para uma afronta direta por parte do crime organizado.
Ocorre que tal situação, que já atestou que tal "bomba" tinha capacidade de dano grave a quem atingisse, se acionada, levanta inúmeras conjecturas, seja junto ao comando dos órgãos de segurança e, com mais ênfase, perante a uma sociedade regional que praticamente convive com casos e mais casos de violência, de forma até corriqueira.
É preciso, neste momento, uma resposta urgente por parte das investigações. A punição dos responsáveis não será apenas uma resposta devida à criminalidade, mas uma espécie de garantia de que é possível, sim, combater quem afronta instituições, se for o caso deste ato registrado.
E, se, porventura, se comprovar tratar-se de um atentado direto aos agentes envolvidos, será preciso, também, respaldo jurídico, não apenas imediato, mas severo, dentro das prerrogativas da lei, é claro. Ações como esta não podem ser aceitas de maneira alguma, pois representam um ataque velado à segurança, de todos.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...