ANO: 25 | Nº: 6310
21/11/2018 Cidade

Edital de seleção do Mais Médicos prevê 15 profissionais para a região

Foto: Tiago Rolim de Moura

Para Bagé, foram abertas quatro vagas
Para Bagé, foram abertas quatro vagas

O novo edital do programa Mais Médicos foi publicado, ontem, no Diário Oficial da União. A publicação ocorreu no dia seguinte ao anúncio do Ministério da Justiça de que serão ofertadas 8.517 vagas para atuação em 2.824 municípios e 34 áreas indígenas, antes ocupadas por médicos cubanos. O processo prevê, para a região, quatro profissionais para Bagé, dois para Candiota, três para Dom Pedrito, um para Hulha Negra, dois para Lavras do Sul e três para Pinheiro Machado.
Por meio de nota, a Prefeitura de Candiota informou, ontem, que as médicas Diana Rey Pino e Tânia Monroing encerram suas atividades no ESF Dario Lassance e UBS Seival. “A Secretaria Municipal de Saúde está em mobilização para um remanejamento prévio, para que não ocorra deficiência nos atendimentos”, pontua o comunicado oficial.

A relação de todos os locais para os quais serão destinadas as vagas está no edital. O texto apresenta em detalhes os oito perfis das localidades que poderão ser escolhidas pelos profissionais que se candidatarem ao programa. Para os médicos que trabalharão em áreas indígenas, haverá escalas das Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI), cuja permanência no território poderá ocorrer por períodos de 32 horas semanais - 10, 15 e até 30 dias.

Os profissionais selecionados receberão salário de R$ 11.865,60 por 36 meses, com possibilidade de prorrogação. As atividades dos médicos incluem oito horas acadêmicas teóricas e 32 em unidades básicas de saúde. Como há vagas em áreas distantes, será repassada ajuda de custo para o médico que solicitar. Além do requerimento, o profissional deverá anexar comprovantes de residência no local.

Os profissionais podem se inscrever no site maismedicos.gov.br. A previsão, de acordo com a Agência Brasil, é de que um grupo comece a trabalhar no próximo dia 3 de dezembro. Na segunda-feira (19), o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, disse que a preocupação é garantir a chegada imediata dos profissionais nos locais em que haverá vagas.

O Ministério da Saúde estima que, no próximo dia 27, haverá a abertura de nova chamada para os médicos brasileiros formados no exterior e estrangeiros. Em 2016, houve a decisão de reduzir a participação dos profissionais cubanos no Mais Médicos, de 11.400 para 8.332. Segundo o Ministério da Saúde, além dos médicos ativos, também serão substituídos 185 profissionais da cooperação que estavam no período de recesso ou tenham encerrado a participação.


Brasileiros podem preencher vagas deixadas por cubanos, diz Simers
O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) afirmou, na segunda-feira, em nota oficial, que será possível preencher vagas deixadas por cubanos no programa Mais Médicos. O informe da entidade lembra que houve abertura de inserção em 2017 e que mais de 8 mil médicos brasileiros se habilitaram a uma oferta de menos de mil vagas no programa. Os postos foram preenchidos por quase 100% de brasileiros, com registro em conselhos de Medicina do Brasil.
"O prazo para se inscrever era de menos de uma semana e houve esta resposta. Saindo os cubanos, as vagas e o dinheiro existem, por que não contratar brasileiros?", destaca o Sindicato Médico, em nota.
Atualmente, o Mais Médicos soma 18.240 vagas no País, sendo que 8.332 postos são ocupados por cubanos. No Rio Grande do Sul, são 617 profissionais do país caribenho para 1,2 mil vagas do programa. Em Porto Alegre, 15 dos 119 médicos do programa são de Cuba.
O governo cubano anunciou o cancelamento do convênio com o Brasil no dia 14 de novembro, reagindo a críticas do futuro presidente Jair Bolsonaro sobre a forma como é o pagamento dos médicos do país. Os profissionais recebem apenas parte do valor pago pelo Brasil à Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...