ANO: 25 | Nº: 6359
30/11/2018 Cidade

Mudança da regra de cotação do dólar no cartão de crédito gera expectativas em Aceguá

Foto: Tiago Rolim de Moura

Valor pago em reais será determinado pelo custo do dólar no momento da aquisição
Valor pago em reais será determinado pelo custo do dólar no momento da aquisição
O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, anunciou, na quarta-feira, 28, que, a partir de 1º de março de 2020, a cotação do dólar que será usada para gastos no cartão de crédito no exterior passará a ser a do dia em que a compra for efetuada e não o valor da moeda na data do fechamento da fatura. Dessa forma, o cliente ficará sabendo, já no dia seguinte, o quanto vai desembolsar em reais, eliminando a necessidade de eventual ajuste na fatura subsequente.

O secretário Municipal de Administração e Fazenda de Aceguá, Vítor Plentz, comenta o impacto que a medida poderá ter sobre a movimentação na cidade fronteiriça, buscada para compras nos freeshops. Ele acredita que a medida servirá como um incentivo ao consumidor ou turista que compra no exterior. "É um grande avanço. Sem dúvida é mais um atrativo para convergência de turistas de compras ao nosso município, agregando o consumo de produtos e serviços também no lado brasileiro", destaca.

Contudo, Plentz vê como maior obstáculo, para a utilização do cartão internacional, a cobrança de IOF na operação financeira. "Hoje se paga 6,38%, percentual que pesa, pois no dinheiro ele não existe", explica.

Como vai funcionar?

A medida promete aumentar a transparência e a comparabilidade na prestação do serviço, padronizando as informações sobre o histórico das taxas de conversão nas faturas que terão que ser divulgadas em formato de dados abertos, de forma que os rankings de taxas possam ser estruturados e divulgados.

Para a sistemática de fixação do valor em reais na data da aquisição, a fatura terá que apresentar, além da identificação da moeda, a discriminação de cada gasto na moeda em que foi realizado e o seu valor equivalente em reais e as seguintes informações adicionais: data, valor equivalente em dólares (quando a moeda usada na compra for diferente de dólar) e a taxa de conversão do dólar para o real.

De acordo com a circular, as instituições poderão ofertar ao cliente sistemática alternativa de pagamento da fatura pelo valor equivalente em reais no dia de seu pagamento. Nesse caso, diz a circular, o cliente terá que aceitar "expressamente" essa opção.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...