ANO: 25 | Nº: 6335
30/11/2018 Editorial

Proximidade e diálogo

A agenda desenvolvida ontem, em Brasília, entre os representantes das entidades que conduzem a Educação Superior Comunitária, dentre as quais está a reitora da Urcamp e presidente da Fundação Attila Taborda, Lia Maria Herzer Quintana, junto ao ministro extraordinário da transição do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, Onyx Lorenzoni, apresenta, pelo menos, dois tópicos fundamentais na garantia de políticas propositivas para o ensino superior.
O primeiro tópico, até pela forma que ocorrera o encontro, consiste na proximidade viabilizada na agenda de Lorenzoni junto aos visitantes. Num período em que ele é, talvez, mais buscado para articulações e conversas visando o próximo ano que o próprio presidente eleito, até pela importância da função, fez esforço para atender ao grupo. Onyx, aliás, mantém uma relação antiga de contato com tais instituições. Em 2016, ainda exercendo o cargo de deputado federal, em agenda em Bagé, também junto à Lia, ele frisou que conhece o sistema das universidades comunitárias e que era papel dos gestores públicos levar a compreensão de tal funcionamento de forma a criar novos dispositivos capazes de melhorar a prestação dos serviços.
Pois ontem, ao receber, em mãos, parte das reivindicações, consideradas as prioridades para o atual momento, o futuro Chefe da Casa Civil do governo Bolsonaro terá ciência de quais poderão ser as ferramentas a serem estimuladas. E, desse modo, surge o segundo tópico importante de ontem: o diálogo.
Se mesmo diante de um período agitado, um primeiro contato já fora disponibilizado é, no mínimo, sinal de que a relação com tais instituições terá espaço no futuro governo. Trata-se de uma medida fundamental para o crescimento do ensino, claro, mas, ainda, para o futuro educacional do País. Vale lembrar que, somente as instituições comunitárias integrantes das entidades presentes na reunião respondem, na atualidade, por cerca de 1,2 milhão de matrículas, algo expressivo num sistema que encara desafios frequentes.
No que tange a própria Urcamp, tradicional instituição da Campanha e Fronteira Oeste, responsável pela formação de uma gama expressiva de profissionais, ao longo dos anos, a relação também se apresenta como promissora. De forma evidente, por sinal, num momento em que Lorenzoni adiantou que terá representação sua durante a posse de Lia – reeleita para o cargo –, agendada para 7 de dezembro, em Bagé.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...