ANO: 26 | Nº: 6541
30/11/2018 Esportes

Sabela avalia período na presidência alvirrubra

Foto: Tiago Rolim de Moura

"Nunca sou consenso, não sei por que", lamentou dirigente
Após um ano e meio à frente do Guarany Futebol Clube, o presidente Pedro Martins Trindade, o Sabella, prepara-se para deixar o cargo. A ideia inicial, segundo ele, não é concorrer à reeleição. A data da nova eleição, entretanto, ainda não está definida.

Em uma avaliação sobre a atuação no alvirrubro, o dirigente comentou que só consegue assumir o time quando não há mais interessados. "Nunca sou consenso, não sei  por que. Mas sempre demonstrei seriedade, honestidade, transparência e sempre que assumo o Guarany, muitas pessoas se afastam. Isso me deixa muito triste", comenta. Mesmo assim, ele lembra que possui um histórico de conquistas no clube. Sabella recorda que participou, em 1999, quando o time foi para a Segunda Divisão. Mais tarde, em 2006, lembra que trabalhou como preparador físico, com a "família Leco", subindo à série A do Gaúcho. "Foi a maior glória da década", declara.

Em 2007, ano em que o clube retornou à Segunda Divisão, Trindade lembra do jogo contra o Internacional, recentemente vencedor de uma competição mundial. À época, Sabella trabalhava ainda como preparador físico. Contra o colorado, o Guarany empatou em 0 a 0, em Cidreira. "Com o time completo do Inter. Nunca mais vai sair da minha mente esse jogo", conta. Em 2008, após a demissão de Leco, Trindade pediu demissão e também afastou-se.

O presidente conta que está conseguindo honrar as promessas feitas durante o período de eleições, como a participação na Copinha em 2017, por exemplo. "Mesmo pegando o clube em uma situação muito difícil", argumenta. Sobre a Copa Paulo Sant'Ana — a Copinha de 2017 — ele afirma também que foi formado um time competitivo e que muitos jogadores do Avenida — campeão da disputa esse ano — passaram pelo alvirrubro.

Sabella também lembrou a reforma da calçada do estádio, feita uma semana após assumir a direção. Além disso, comentou sobre a construção do muro do Estrela D'alva. A reconstrução foi uma decepção para o presidente, quando lembra que duas pessoas apenas colaboraram para o pagamento — que ainda não foi quitado.

Neste ano, o Trindade lamentou que o clube não tenha conquistado a classificação. Ele recordou que chegou a ficar 30 dias hospitalizado e não pode acompanhar parte dos jogos. "Essa foi minha maior tristeza aqui, no clube. Eu ter adoecido e não estar junto ao grupo", declara.

Por fim, avalia a gestão de maneira positiva e garante que entregará todas as contas quitadas, assim como a documentação do estádio. "Foi uma boa gestão, só faltou subir". Ele declarou que tem um grande amor pelo Guarany e sua família também torce pelo alvirrubro. O presidente declarou que respeita o Bagé e seus dirigentes e mantém a rivalidade apenas em campo. Sabella agradeceu quem trabalha junto e comentou que "vai entregar, mais uma vez, o Guarany viável".

A data da nova eleição ainda está indefinida. A nova direção poderá assumir ainda no final do ano ou somente na segunda quinzena de janeiro. A mudança será decidida até sexta-feira e depende da quitação das contas do clube.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...