ANO: 24 | Nº: 6110
06/12/2018 Cidade

Com previsão de 300 postos de trabalho, construção de linha de transmissão entre Bagé e Candiota deve iniciar em 2019

Foto: Tiago Rolim de Moura

Obra  ė considerada estratégica para a região
Obra ė considerada estratégica para a região
Com a previsão de início para o primeiro trimestre de 2019, a construção da linha de transmissão ligando Bagé e Candiota deve gerar em torno de 300 postos de trabalho. A empresa indiana Sterlite Power Grid Ventures será a responsável pela obra, que prevê a implantação de 150 torres de aço galvanizado com cerca de 60 a 70 metros de altura, partindo da subestação da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), localizada no principal acesso da Rainha da Fronteira.

A Sterlite venceu a concorrência pública realizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para interligar o complexo termelétrico de Candiota a Bagé. A construção da nova linha de transmissão, em 230 quilowatts, terá cerca de 50 quilômetros e irá conectar as subestações das duas cidades. Também será realizada, segundo estabelecido, a expansão de ambas subestações.

Conforme a assessoria de comunicação da empresa, para o início da obra, ainda é necessária a emissão da licença de instalação, o que deve acontecer no primeiro trimestre de 2019. As obras serão iniciadas logo em seguida. A Sterlite também deve instalar o canteiro de obras na região, mas ainda não tem local definido.

Operação comercial

A linha de transmissão integra um lote comercializado por R$ 34,5 milhões. A entrada em operação comercial está prevista para agosto de 2022. A nova estrutura, que faz parte do planejamento do Ministério de Minas e Energia, é considerada estratégica para a região. A obra pretende evitar cortes de carga por subtensão, especialmente nos períodos entre novembro e março, e em situações de despacho reduzido nas centrais eólicas da Eletrosul, integradas à subestação de Cerro Chato, em Santana do Livramento.

Segundo dados divulgados pela Aneel, a obra tem prazo de execução de 60 meses. O projeto também compreende as linhas de transmissão de Garibaldi a Lajeado, com 47 quilômetros, outra linha entre duas subestações de Lajeado, com 16,4 quilômetros, além das subestações Vinhedos e Lajeado 3 e do trecho de linha entre a subestação Vinhedos e o seccionamento da linha de transmissão Monte Claro - Garibaldi, com dois quilômetros.

As obras da subestação de Lajeado tiveram início na segunda-feira e marcaram o início das construções do projeto de transmissão de energia Vineyards, que tem um investimento previsto no edital da Aneel de quase R$ 400 milhões, com recolhimento de impostos diretos de aproximadamente R$ 10 milhões. Esse é o segundo projeto da Sterlite Power no Brasil a ter suas obras iniciadas, de um total de nove concessões que a empresa conquistou em leilões públicos organizados pela Aneel.

Projeto Crescer
A obra que vai interligar o complexo de Candiota a Bagé foi ofertada, inicialmente, em 2013, mas não avançou. No ano passado, a linha de transmissão entrou no cronograma de obras do Projeto Crescer, lançado pelo governo federal, quando foi arrematado pelo grupo indiano.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...