ANO: 24 | Nº: 6432

Viviane Becker

viviminuano@hotmail.com
Colunista social do Jornal Minuano, Viviane Becker é experiente jornalista de geral e conhecida editora do caderno de variedades Ellas.
07/12/2018 Caderno Ellas

Brechó: uma alternativa sustentável e consciente

Foto: Reprodução JM

 

Por Janine Pinto

Estilista/colaboradora

 

 Um guarda-roupa com marcas de luxo é, para alguns, sonho de consumo. O preço das peças, muitas vezes, impede os apaixonados por grifes de comprar roupas, bolsas e acessórios de grandes marcas. Um dos temas mais falados, atualmente, a importância de fazer a economia circular também está em pauta. Esse é um conceito de sustentabilidade que procura resgatar itens que seriam descartados e os insere novamente na cadeia produtiva.

Comprar em brechós é uma ótima opção se você precisa economizar, mas ao mesmo tempo quer uma peça única e com qualidade. Além disso, adquirir uma roupa que já foi de outra pessoa ajuda a diminuir o impacto ambiental da indústria têxtil no meio ambiente e o acumulo de lixo no planeta.

O mesmo dólar que inflacionou o custo das operações de muitas empresas, diminuindo o número de empregos formais no país, respingou, também, no estilo de vida das famílias, que superaram alguns preconceitos durante o período de recessão e adotaram novos hábitos de consumo.

Hoje, os negócios de artigos usados, fazem parte das principais tendências de moda desse público. Porém, o hábito de acumular verdadeiras fortunas sem uso ficou no passado. O conceito de brechó de luxo trouxe para essas consumidoras uma alternativa renovar o guarda-roupa de forma mais consciente.

O preconceito em adquirir peças usadas diminui à medida que as pessoas começam a frequentar os brechós e ver que é uma ótima opção de compra responsável e criativa. Comprar peças legítimas usadas tem se tornado cada vez mais popular, sobretudo, itens de alto valor e com pouco uso. O brechó entra como aliado nesse momento. Em tempos de não pensar, de consumo excessivo e desenfreado, que tal parar, repensar e repassar? Mude a sua opinião sobre peças usadas e brechós, pois eles são uma alternativa ética de consumo. Aposto que você vai tomar a decisão certa.

Porque comprar em brechós:

•      Sustentabilidade e cuidado com o meio ambiente - quando você compra uma peça usada ou repassa uma sua, você está, automaticamente, aumentando o ciclo de vida dessa roupa. Essa ação diminui a compra de peças novas, consequentemente diminui a produção da indústria têxtil, que é a segunda mais poluente do mundo. Um respiro para o nosso planeta.

•      Peças novas, com etiqueta e algumas de grifes, muito mais baratas - sim, muita gente compra por impulso. Nunca usa e passa para frente e nem todas as peças de brechó são usadas ou velhas, tem muita coisa boa, barata, com etiqueta de marcas de estilistas renomados.

•      Economia - não tem comparação o valor de uma roupa nova com uma de brechó. São preços incríveis e você vai economizar muito.

•      Roupas exclusivas - nada de parecer estar de uniforme quando chegar a um lugar, pois todos estão com a mesma roupa e estilo. Foque que ninguém vai estar igual a você.

•      Peças atemporais- peças com cortes e tecidos atemporais, que você vai poder usar a vida toda.

•      Aumenta sua criatividade - se você compra uma peça onde não existe nenhuma dica de look, não tem uma fórmula pronta, isso  estimula a pensar criativamente em como usá-la, afirmando, também, seu estilo pessoal.

Com todas essas dicas e motivos, fica difícil não querer comprar em brechó, não é?

 

 

BOX

BRECHIC

Neste final de semana, nos dias 8 e 9 de dezembro, das 14h às 18h, convidamos a todos leitores para o Brechic, que acontece nas dependências do Centro Histórico e Cultural Santa Thereza. Serão comercializadas peças novas e seminovas com a curadoria desta estilista e da modelo Indaiara Barcellos. A renda é 100% revertida para o centro cultural, na ocasião roupas de grandes grifes nacionais e internacionais doadas pela comunidade entre elas peças em  seda, linho, malha, couro, tudo com preços convidativos.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...