ANO: 25 | Nº: 6383

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
08/12/2018 José Artur Maruri (Opinião)

As notícias falsas e o espiritismo

"Evita o palavreado vão e ímpio, que os que o praticam progredirão na impiedade." – II Timóteo – 2:15
Uma das marcas do último ano pode ter sido a polarização nas relações pessoais. Num ano em que passamos por um processo democrático através do sufrágio popular para a eleição do mandatário maior da nação, não foi de se estranhar que as pessoas se digladiassem em palavras e ações.
No entanto, foi possível observar, com tristeza, a disseminação de notícias falsas com vistas ao favorecimento do candidato A ou B. Os boatos (fake news) se tornaram uma estratégia comum para confundir e influenciar os resultados.
Bastava abrir as redes sociais e lá estava aquele texto, áudio, foto, vídeo customizado para aumentar a nossa irritação com determinado candidato ou nossa admiração por outro, situação que até hoje é objeto de investigação na eleição presidencial dos Estados Unidos.
"Mas o Espiritismo tem algo a ver com tudo isso?"
Trata-se de uma ótima pergunta feita por Geraldo Campetti Sobrinho em publicação no site da Federação Espírita Brasileira, ainda no ano passado.
O próprio autor cita que o Evangelho é pródigo em lições que opõem às chamadas notícias falsas, senão vejamos:
"- Não acrediteis em todos os Espíritos, mas provai se os Espíritos são de Deus, porque são muitos os falsos profetas, que se levantaram no mundo (João, Epístola I, cap. 4: 1).
- A boca fala do que está cheio o coração (Lucas, 12: 34).
- Deve-se publicar tudo o que os Espíritos dizem? (Allan Kardec, Revista Espírita, nov. 1859)
- Antes de falar qualquer coisa, passe pelos três crivos, ou pelas três peneiras: se é bom, verdadeiro e útil (Atribuído a Sócrates)".
De outra sorte, é de se destacar a fala do Espírito Erasto, já citado na presente coluna, quando refere:
"Na dúvida, abstém-te, diz um dos vossos velhos provérbios. Não admitais, portanto, senão o que seja, aos vossos olhos, de manifesta evidência. Desde que uma opinião nova venha a ser expendida, por pouco que vos pareça duvidosa, fazei-a passar pelo crisol da razão e da lógica e rejeitai desassombradamente o que a razão e o bom senso reprovarem. Melhor é repelir dez verdades do que admitir uma única falsidade, uma só teoria errônea (Erasto. Livro dos Médiuns, cap. 20, it. 230)".
Afora isso, tem-se a citação do topo da coluna, onde Paulo de Tarso, em carta à Timóteo, pede que se evite o palavreado vão e ímpio para que não tenhamos progresso na impiedade.
Nessa linha, o Espírito Emmanuel, em mensagem psicografada por Chico Xavier na obra "Vinha de Luz", leciona que o falatório desvairado oferece vasto lugar aos monstros do crime.
"Não nos esqueçamos, porém, do falatório maligno que sempre forma, em derredor, imensa família de elementos enfermiços ou aviltantes, à feição de vermes letais que proliferam no silêncio e operam nas sombras".
Para o Emmanuel "a palavra digna infunde consolação e vida, já a murmuração perniciosa propicia a morte".
Quantos inimigos da paz do homem se aproveitam do vozerio insensato, para cumprirem criminosos desejos?
Nessa linha, vale a recomendação de Geraldo Campetti Sobrinho, perante as possíveis "fake news":
a) devemos ser cautelosos quanto a novidades e notícias bombásticas;
b) adotar a dúvida, como segurança informacional, sem julgamentos;
c) levantar rigorosamente a fonte da informação;
d) avaliar se o conteúdo é verdadeiro, bom, útil e pertinente; e
e) evitar retransmitir conteúdos duvidosos ou suspeitos por quaisquer meios nas redes sociais: Facebook, Twitter, WhatsApp, e-mail, textos, palestras, conversas, dentre outros.
Diante do exposto, fiquemos com a lição de Emmanuel:
"Cada frase do discípulo do Evangelho deve ter lugar digno e adequado. Falatório é desperdício. E quando assim não seja não passa de escura corrente de venenos psíquicos, ameaçando espíritos valorosos e comunidades inteiras".
(Referências: - Portal El País. Reportagem de 21/08/2018. Acesso em 06/12/2018. - Portal FEB. Artigo publicado em 18/12/2017. Acesso em 06/12/2018. - XAVIER, Francisco Cândido. O Evangelho por Emmanuel: comentários às Cartas de Paulo/coordenação de Saulo Cesar Ribeiro. Brasília: FEB, 2018. p. 662-663)

José Artur M. Maruri dos Santos
Colaborador da União Espírita Bajeense
Comente: josearturmaruri@hotmail.com

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...