ANO: 26 | Nº: 6494
08/12/2018 Cidade

Bajeense que passa por tratamento de câncer de mama cria projeto para auxiliar outras pacientes

Foto: Antônio Rocha

Bolsa tem alça regulável e é doada a mulheres que realizam cirurgia
Bolsa tem alça regulável e é doada a mulheres que realizam cirurgia

As dificuldades de quem passa por todo o processo que envolve o tratamento do câncer de mama deram forças à bajeense Lúcia Azambuja Saraiva Vieira. A enfermeira criou o projeto Segura, que surgiu para ajudar mulheres que passaram por cirurgia em decorrência da doença. Ela recebeu o diagnóstico em dezembro de 2017 e, após duas cirurgias, sentiu necessidade de apoiar outras mulheres que necessitavam de um local para colocar o dreno.

A enfermeira comenta que receber o diagnóstico não é nada fácil e ela ficou muito insegura. Lúcia conta que teve que ficar por 30 dias com um dreno e a convivência com o dispositivo a instigou a criar alternativas para o carregamento que não limitasse os movimentos. Para isso, criou, com o auxílio do marido, Hugo Ustarroz Pêgas, que é publicitário, uma bolsa que deve ser usada para a colocar o aparelho.

No primeiro momento, foram confeccionadas 100 bolsas da cor rosa, com o logomarca do projeto. A confecção contou com a ajuda de amigos, que auxiliaram com doações financeiras. Segundo ela, que ainda passa por tratamento de radioterapia em Porto Alegre, algumas Organizações Não Governamentais (ONGs) e o Núcleo da Mama já receberam as unidades da bolsa. Em Bagé, há previsão de entrega para 20 mulheres, o que deve acontecer na segunda quinzena de dezembro.

Lúcia ressalta que a criação do acessório foi uma inspiração "divina" e a vontade de ajudar outras pessoas. Ela salienta que, antes de chegar ao modelo final, testou tecidos e cores com a ajuda de uma amiga, que é costureira. A enfermeira comenta que, junto com a bolsa, que é doada, é entregue um material de apoio com dicas e cuidados com o dreno e pós-cirúrgico.

Ela diz que ouviu muitas histórias de vida enquanto fazia suas revisões, e muitas pacientes levavam o dreno em sacolas plásticas, tirando um pouco da mobilidade. "Cada um cria seus métodos para enfrentar o problema", enfatiza.

Quem quiser ajudar e conhecer o projeto Segura pode acessar o Instagram: @projetosegura ou entrar em contato pelo e-mail projetosegura@gmail.com. As primeiras bolsas começaram a ser distribuídas no final de novembro.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...