ANO: 25 | Nº: 6332
08/12/2018 Editorial

Demanda de verão


Roupas leves, protetor solar como acessório diário e a perspectiva de férias à espreita. Essas são algumas características comuns a cada chegada de uma nova estação quente. Mas, dentro deste âmbito, um tema sempre acaba norteando as atenções da população, às vezes mais que aquele imposto que deverá ser pago ao final do ano: a segurança.
O cuidado com o bom funcionamento das estruturas que garantem mobilidade e estrutura no verão consiste com uma temática comum. Senão para os mais jovens, ainda afoitos com o aflorar da juventude, cheios de ideais e expectativas, isto vale para os mais experientes que, pelo menos uma vez ao longo da vida, talvez, tenham se deparado com uma situação atípica, inesperada.
Mas como mencionado no abrir desta mensagem, a segurança, em especial aos que buscam refugio em locais onde a natureza oportunize que o calor seja amenizado, a exemplo de praias e balneários, mobiliza agentes públicos. Isso porque a expressiva realocação da população para o litoral e espaços com presença de água motiva a presença dos guardas-vidas, como detalha publicação desta edição, o que exige recursos e empenho por parte do poder público.
Para a Campanha gaúcha, segundo as previsões, pelo menos três cidades que possuem das chamadas "praias internas" devem ser contempladas com profissionais para atuar na segurança dos veranistas. Os selecionados, os quais devem ser realocados nos próximos dias, devem permanecer até abril, se revezando no atendimento. E isto, por mais que demande verbas, é essencial para que as férias sejam um real motivo para o descanso e lazer. Até porque, literalmente, salva vidas.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...