ANO: 25 | Nº: 6280

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
08/12/2018 Airton Gusmão (Opinião)

É preciso escutar e acolher Aquele que vem ao nosso encontro


"Um velhinho estava cuidando da planta com todo o carinho. Um jovem aproximou-se dele e perguntou: que planta é esta que o senhor está plantando? É uma jabuticabeira, respondeu o velho. E ela demora quanto tempo para dar frutos? Pelo menos uns 15 anos. E o senhor espera viver tanto tempo assim? - perguntou irônico o rapaz. Não! Não creio que viva mais tanto tempo, pois já estou no fim da minha jornada, disse o ancião. Então, que vantagem o senhor leva com isso? Nenhuma, exceto a vantagem de saber que ninguém colheria jabuticabas se todos pensassem como você" (Vivendo e aprendendo: histórias para o dia a dia, Mundo e Missão, pag. 95).
Estamos vivendo o Tempo do Advento, já no seu segundo domingo. E temos neste final de semana a pessoa e missão de João Batista, que prega um batismo de conversão e, se valendo do profeta Isaías, faz um convite a todos nós que queremos viver e celebrar o natal cristão: "Esta é a voz daquele que grita no deserto: preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas. Todo vale será aterrado, toda montanha e colina serão rebaixadas; as passagens tortuosas ficarão retas e os caminhos acidentados serão aplainados" (Lc 3,4-5).
A Boa Nova da Salvação irrompe na história da humanidade por meio de mensageiros de Deus e, um destes, é João Batista. O centro da história, conforme o evangelho deste domingo, não é o poder político, representado por Pôncio Pilatos e Herodes Antipas, ou o poder religioso, através de Anás e Caifás; mas a Palavra de Deus revelada a João, que tem a missão de preparar o povo para acolher Jesus. João Batista tem consciência de não ser o Messias, porém tem um papel importante, que é o de abrir os caminhos para a vinda do Messias, através do anúncio de um batismo de penitência, de mudança de estilo de vida, que consiste em retomar uma relação de justiça com Deus e com o próximo.
Assim, o tempo de Advento, com a força e presença da Palavra de Deus, com o seu convite à conversão, nos faz retomar o caminho para Deus e seu projeto para todos nós; nos faz tomar consciência de que Deus é aquele que sempre está próximo para salvar e de que é necessário renovar a nossa adesão e seguimento ao seu Filho Jesus Cristo.
À luz do Ano da Misericórdia que vivemos recentemente, motivados pelo Papa Francisco e agora provocados por João Batista e seu convite à conversão, poderíamos dizer que a raiz de nosso olhar necessita ser replantada no coração de Deus para dar-nos conta de que não existem humanos desenganados, nem totalmente arruinados. Em cada pessoa há sempre centelhas de surpreendentes esperanças que poderão florir em presenças criadoras e construtivas. A misericórdia os chama a crer que é possível transformar desertos em jardins, indiferenças em solidariedade, medos em coragem, pecadores em santos.
As imagens utilizadas por João como convite à conversão: endireitar as estradas, preencher os vales e aplainar os montes, querem nos falar dos desafios e pecados da nossa caminhada humana e cristã, tanto pessoal como social, que precisam ser transformados, tais como o orgulho, o egoísmo, o individualismo, a prepotência, as injustiças e a intolerância, como tantas outras experiências que nos afastam do caminho de Jesus e do Reino.
Lembremos o Salmo 126,5-6, que diz: "Os que lançam as sementes entre lágrimas, ceifarão com alegria" e, retomando a historinha inicial, importa que vivamos uma esperança ativa, não olhando apenas para o hoje ou somente para nós. A salvação trazida por Jesus Cristo é para todos. Por isso, temos de nos perguntar a partir dos apelos de João Batista: qual vereda é preciso endireitar em nossa vida? Quais vales, montanhas e colinas estão dificultando o nosso encontro com o outro? Quais caminhos acidentados precisam ser aplainados em nossa família, na comunidade e na sociedade para acolher o Senhor que vem?
Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação, perseverantes na oração e solidários com os que sofrem. Não esqueçamos que no próximo domingo, dia 16 de dezembro, às 17 horas, dia da Coleta para a Campanha da Evangelização, somos convidados a participar, no ginásio franciscano do colégio Espírito Santo, da Missa de acolhida e posse do nosso novo Bispo, Dom Frei Cleonir Paulo Dalbosco. Um boa caminhada de Advento a todos, um bom final de semana e até uma próxima oportunidade.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...