ANO: 25 | Nº: 6333
11/12/2018 Segurança

Em comemoração pelos 177 anos da Polícia Civil, delegado regional apresenta dados no Legislativo

Foto: Sidimar Rostan/Especial JM

Benites se manifestou na tribuna da Câmara de Vereadores
Benites se manifestou na tribuna da Câmara de Vereadores

No dia 3 de dezembro, a Polícia Civil gaúcha completou 177 anos de atuação e, em comemoração à data, o vereador Augusto Lara (PDT) convidou o titular da 9ª Delegacia Regional de Polícia Civil, Luis Eduardo Benites, para explanar, no Legislativo bajeense, ontem, durante sessão especial, sobre as atividades da polícia na Rainha da Fronteira.

O delegado ressaltou que a Delegacia Regional, este ano, incorporou, além das cidades que já faziam parte de sua área de atuação, Caçapava do Sul e Santana da Boa Vista. “Este ano, enfrentamos umas das maiores crises no Rio Grande do Sul, com salários atrasados e poucos recursos e, mesmo assim, conseguimos fazer diversas operações e reduzir o número de crimes contra a vida”, comentou.

Benites destacou que foram realizadas 27 operações policiais, a grande maioria em Bagé, com foco no combate ao tráfico de drogas. “Tivemos as operações Médici, Cárcere, Anjos da Lei e Defrec, todas de combate ao tráfico de entorpecentes. Em São Gabriel, tivemos a operação Narcos, R33 e Masmorra, também de tráfico de drogas. Em Pinheiro Machado, a operação Retomada, Dom Pedrito a Coiote e Santa Maria, em Candiota a Metus, Interfector, Seival e Baco”, detalhou.

Também ocorreram, em Bagé, as operações Sentinela – combate ao latrocínio, Asilo Inviolável – Furto e Receptação, Deu Zebra – Jogos de Azar, Resgate – Sequestro de empresário, Dignidade – repressão de crimes contra policiais, Cronos – violência doméstica e familiar, Recepta – furto e receptação e Decrab – combate ao abigeato. Em Vila Nova do Sul, operação Agro – Furtos e Receptação, em Dom Pedrito a Inferno de Dante – Motim Presídio Estadual e Contexto – Repressão crimes contra policiais, e, em Pinheiro Machado a Clandestinos – Furto Abigeato.

Outro dado de impacto, segundo o delegado regional, foi o número de Autuações de Prisão em Flagrante (APFs), que chegaram a 291. “Deste número, podemos ter até dois presos em cada documento, sendo que podemos ter tido até 600 autuados. Somente neste final de semana, foram oito presos. É um número alto de flagrantes”, explicou.

Sobre os abigeatos, o titular da DPR destacou que a criação da Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e Abigeato (Decrab) foi um marco importante, mas que há ainda muito o que fazer. “Temos pouco efetivo, falta viaturas e até mesmo para ser inaugurada contamos com apoio da sociedade e dos sindicatos, como a Associação e Sindicato Rural, pois, como já disse, passamos por uma crise no Estado e tivemos 164 ocorrências de abigeato este ano”, destacou Benites.

Este ano, já foram registrados, até o início de dezembro, 12.015 boletins de ocorrências. “Temos, na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), apenas uma sala de contenção, o que é bem ruim, pois quando estão presas mais de uma pessoa, ou até mesmo adolescentes detidos, eles têm que ficar no mesmo local. Pedimos ajuda ao Legislativo e à comunidade para que possamos fazer a reforma do local e terminar a obra”, declarou.

Os crimes contra a vida tiveram redução de quase 50%, enfatizou o delegado. “O importante é dizer que tivemos 13 crimes contra a vida, sendo que tivemos 100% de elucidação, o que é muito importante, pois não ficam impunes os responsáveis. Acredito que isso é fruto do combate à impunidade, com as operações e também ao programa nacional de combate aos homicídios que o país implantou. E aqui tivemos efeito”, acrescentou.

O número de medidas protetivas da Lei Maria da Penha também foram expostas pelo delegado. “Este ano, até o momento, já foram emitidas 702 medidas protetivas. Sabemos que vivemos numa sociedade ainda machista, sendo um problema cultural. Há uma necessidade enorme que isso seja reduzido, pois crimes de gênero não podem mais ocorrer. Este ano, tivemos um feminicídio, o que é um dado muito triste para a cidade”, complementou.

Uma mudança, também mencionada, foi a transferência do Cartório de Crianças e Adolescentes Vítimas e do Cartório de Idosos, que foram para a Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam). “Agrupamos na Deam, pois temos o objetivo de criar uma sala especial para que a criança, ou adolescente, principalmente que tenha passado por um crime de natureza traumática sexual, fale apenas uma vez para todos os órgãos, pois é necessário esse depoimento sem medo e não precisando repetir e relembrar a dor”, disse.

Benites finalizou dizendo que a Delegacia Regional de Polícia Civil, com sede em Bagé, este ano, completa, agora em dezembro, 50 anos. “Quero agradecer a parceria com o Legislativo e com a comunidade e vamos seguir em frente, pois o ano de 2019 será mais difícil e temos que seguir o combate aos crimes”, finalizou.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...