ANO: 25 | Nº: 6382
15/12/2018 Segurança

Com foco no crime organizado, Defrec recebe nova nomenclatura

Foto: Divulgação

Draco fica técnica e operacionalmente ligada ao Deic e ao Denarc
Draco fica técnica e operacionalmente ligada ao Deic e ao Denarc
A portaria que classifica as Delegacias de Polícia Especializadas em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec), como terceira categoria, transformando em Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), foi publicada pelo governo do Estado na sexta-feira.
As atribuições das Dracos é reprimir e exercer as atividades de polícia judiciária e de investigação criminal relativamente aos crimes de lavagem de dinheiro, de tráfico de drogas, de latrocínio, de extorsão mediante sequestro, de furto e de roubo de carga de caminhão, de furto e de roubo de veículo, de furto e de roubo de gado, de furto ou de arrombamento a caixa eletrônico, de receptação qualificada e de veículo, de roubo a banco ou a instituições financeiras, de roubo a transporte de valores, bem como de roubo à residência ou a estabelecimentos comerciais com lesões, que demandem investigação especializada ou decorrente da ação de associações ou organizações criminosas.
Às novas delegacias compete capturar condenados com pena de reclusão a ser cumprida em regime fechado e foragidos do regime fechado. A atribuição da Draco para apuração dos crimes de furto e roubo de gado vai se dar sem prejuízo da atuação concorrente dos demais órgãos competentes da Polícia Civil, inclusive da Delegacia de Polícia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e de Abigeato (Decrab). Em Bagé, a Defrec também passa a ser Draco e ter em suas atribuições a repressão aos crimes de lavagem de dinheiro.
De acordo com o titular da Draco, delegado Cristiano Ritta, a mudança é que a especializada agora fica com a atuação ao crime organizado e lavagem de dinheiro. “A ideia é que algumas atribuições e a atuação fica mais restrita, pra isso foi criado dentro da estrutura um serviço de investigação a lavagem de dinheiro, e os roubos a pedestre, ou estabelecimento comercial que não seja do crime organizado sejam direcionados. Quando a gente identificar que seria do crime organizado então passaria a Draco”, explica.
Ritta também explicou que foi criada uma estrutura mista. “Administrativamente segue compondo a 9ª Delegacia Regional de Polícia Civil, mas técnico e operacionalmente responde ao Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e ao Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc)”, complementa.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...