ANO: 26 | Nº: 6494
17/12/2018 Cidade

Dom Cleonir Dalbosco preside sua primeira missa como bispo da diocese

Foto: Antônio Rocha

CAPA
CAPA

Na presença de autoridades, sacerdotes, religiosos, seminaristas, lideranças comunitárias, representantes de pastorais, movimentos, comunidades, familiares e amigos, o frei Cleonir Paulo Dalbosco foi empossado, ontem, como novo bispo da Diocese de Bagé. A celebração de acolhida e posse aconteceu na área coberta do Colégio Franciscano Espírito Santo.
A solenidade teve início por volta das 17 horas. O quinto bispo da diocese de Bagé, Dom Cleonir, que escolheu como lema “Eu vim para servir”, foi recebido pelos participantes. Logo em seguida, foi realizado um agradecimento especial ao bispo emérito, Dom Gílio Felício, pelos 15 anos que ficou à frente da diocese e também aos 40 anos da vida sacerdotal do padre Alex Kloppenburg, que estava respondendo pela diocese desde junho.
A celebração teve prosseguimento com a entrada de padres, diáconos e bispos de pelo menos 12 municípios e das 16 paróquias que compõem a diocese da Rainha da Fronteira, de Caxias, Porto Alegre, Melo e Taquarembó, no Uruguai. Após a leitura da bula papal (documento de nomeação pelo papa Francisco), o arcebispo de Pelotas, Dom Jacinto Bergmann, entregou o báculo (cajado) para Dom Cleonir, que presidiu a missa.
Na homilia, o novo bispo saudou todos os presentes, incluindo irmãos e irmãs de outras denominações religiosas. Ele salientou que está feliz e esperançoso. Também agradeceu pelo chamado. “Peço permissão para entrar em suas casas e em seus corações e começar a fazer parte de suas vidas e da história dessa Igreja”, disse.
Dom Cleonir convidou a todos para caminhar juntos, criando novas relações no interior da Igreja, inspiradas no princípio da comunhão e participação. “Chego a vocês com o coração aberto e com grande respeito pela história e pelas pessoas que são responsáveis pelo dinamismo, pela vitalidade, pelo testemunho e pela santidade da Igreja”, comentou.
O religioso ressaltou que percebe o mundo de instabilidades, incertezas e insegurança. Mas, ao mesmo tempo, observou que, como cristãos, é preciso lutar contra a tentação do retrocesso, de medo, de desânimo frente aos desafios e urgências da missão. O novo bispo conclui usando as palavras do papa Francisco: “Que nada nos tire a alegria, que nada nos tire a paz, que nada nos tire a esperança!”.


Trajetória

O novo bispo é natural de Barros Cassal e foi empossado no dia 1º de dezembro, em sua cidade natal. O religioso tem 48 anos e ingressou no seminário em 1987, em Soledade. Cursou Filosofia no Instituto de Filosofia Padre Berthier, em Passo Fundo, e Teologia na Escola Superior de Teologia e Espiritualidade Franciscana, em Porto Alegre. Também é bacharel em Administração de Empresas pela Universidade de Caxias do Sul e tem especialização em Gestão de Pessoas, pela Universidade Anhanguera.
Em 19 de setembro de 1998, fez sua profissão solene na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, em Canoas, e, em 20 de setembro do mesmo ano, foi ordenado diácono. Recebeu a ordenação presbiterial em 20 de fevereiro de 1999.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...