ANO: 24 | Nº: 6161

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
17/12/2018 Caderno Minuano Saúde

O que é a ansiedade?

Foto: Divulgação

Todos temos ansiedade, alguma ansiedade é normal e até produtiva. Geralmente, vem decorrente de medos pessoais e não de perigo real. É importante falar que a ansiedade é um estado mental e emocional normal e ate mesmo útil ao ser humano, mas quando sentida de uma forma excessiva e continuada, se torna um problema de saúde, ou seja, em uma doença psicológica. Pessoas que sofrem de distúrbios de ansiedade sentem uma preocupação e medo extremos em situações simples da rotina, além de alguns sintomas físicos, o que atrapalha suas atividades cotidianas, já que eles são difíceis de controlar.
Nesta edição, a psicóloga Carla Mansur irá falar dos sintomas e tratamentos para esse problema.

Sintomas
Carla Mansur conta que os sintomas físicos são geralmente uma dor ou aperto no peito, falta de ar, aumento do suor, tremores nas mãos ou outras partes do corpo, sensação de fraqueza ou cansaço, boca seca, mãos e pés frios ou suados, náusea, tensão muscular, dor de barriga ou diarreia. “E se você está com três ou mais desses sintomas geralmente é uma crise de ansiedade que esta sendo desencadeada”, explica.
Os sintomas emocionais por sua vez, complementa a profissional, é constante tensão nervosa, sensação de que algo ruim vai acontecer, ter problemas de concentração, um medo constante, ter descontrole sobre os pensamentos, principalmente dificuldade em esquecer o objeto de tensão (congestionamento dos pensamentos), preocupação exagerada em comparação com a realidade, problemas para dormir, irritabilidade. “Sabendo fazer a identificação destes sintomas e se eles estiverem presentes quase que diariamente nos últimos seis meses, é importante consultar um psicólogo, pois pode estar desencadeando um transtorno de ansiedade generalizada, que nada mais é quando a ansiedade persiste por longos períodos de tempo e passa a interferir nas atividades do nosso dia a dia, assim provocando danos na nossa qualidade de vida”, ressaltou.
Carla destaca que as principais causas da ansiedade geralmente estão associadas a evento traumático, que tenha passado ou que irá passar como algum exame médico, provas e até mesmo uma entrevista de emprego. Partindo disso, a ansiedade é nada mais que um excesso de futuro, estamos acordando na segunda pensando no final de semana, e esquecendo de viver o agora. “A mente quando está repleta de pensamentos acelerados ela acaba empobrecendo nossas emoções. Não sentimos o tempo passar, não aproveitamos os momentos e temos sempre a sensação de apreensão e frustração por não termos feito tudo o que era necessário. O desafio é “dilatar” o tempo, fazer muito do pouco e investir horas em coisas simples. Saber viver no agora. Como diz o nosso autor Augusto Cury”, acrescenta.

Tratamento
O tratamento se dá através de psicoterapia e em alguns casos necessitando do uso de medicação também, completa a especialista. “A recuperação do indivíduo depende da gravidade da doença. O transtorno de ansiedade pode persisti, porém aprendendo a lidar com as situações que causam a ansiedade a pessoa consegue manter sob controle, havendo uma melhora significativa”, relata Carla.
O objetivo do tratamento é ajudar o paciente a agir normalmente na vida cotidiana, limitando suas preocupações, e sabendo identificar as causas dos medos que estão causando a ansiedade. Não há formas comprovadamente efetivas para prevenir o transtorno de ansiedade, porém praticar uma atividade física ajuda diminuir a adrenalina criada pela ansiedade, aprender a controlar a nossa respiração é de grande auxilio também, pois é com esse controle que conseguimos manter os nosso pensamentos em ordem, inspirar e expirar lentamente em qualquer lugar é de suma importância sempre. Procurar viver no presente sempre e não se preocupar no amanhã que ainda não existe faz com que tenhamos o total controle da ansiedade.
“Não sejamos um traidor da nossa qualidade de vida. Tenha uma mente livre, sonos saudáveis, finais de semana, férias e relaxamento. Cultive emoções saudáveis”, conclui a profissional de psicologia.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...