ANO: 25 | Nº: 6381
19/12/2018 Luiz Coronel (Opinião)

O Ferido Coração da América

En estas viejas comarcas
De insolências e violências
Para lavar nossos pecados
Nem mesmo a água mais benta.

Descem cruzes pelo rio,
Por los muertos nuestra fé.

A montanha está conosco,
O povo põe Deus de pé.

Es la tierra de bolívar,
De zapata y pancho villa,
Es la tierra de guevara
Aloja, caña y tequila.

Os pobres estão descalços,
Mas sem chapéu, isso não.

É neles que se recolhe
A alma que está no chão.

Vão guerreiros num burrico,
Levam rifles, papagaios.

Nos seios, o maçarico,
Terra de heróis e lacaios.

Si evita es muerta errante,
El fidel está en la sierra.
Querem guerra nas estrelas,
Quiero granos en la tierra.

Cangaceiros perfumados,
Santos dumomnt pelo ar.
Favelados viram príncipes,
O Carnaval vai chegar.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...