ANO: 25 | Nº: 6280
19/12/2018 Cidade

Zeca Brito recebe condecoração da Assembleia Legislativa

Foto: Ronaldo Quadrado/EspecialJM

Bajeense discursou sobre importância da resistência pela valorização da cultura
Bajeense discursou sobre importância da resistência pela valorização da cultura
O cineasta bajeense Zeca Brito foi condecorado, na segunda-feira, com a medalha da 54ª Legislatura da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. A cerimônia, realizada no Solar dos Câmara, em Porto Alegre, teve como proponente o deputado estadual Luiz Fernando Mainardi, do PT, e contou com a exibição do documentário “Grupo de Bagé”, que narra a história e o legado do movimento artístico surgido nos anos de 1940, protagonizado pelos pintores e gravuristas Glênio Bianchetti, Glauco Rodrigues, Carlos Scliar e Danúbio Gonçalves.
Na ocasião, Mainardi destacou ao homenageado que esta condecoração se deu devido à sua trajetória profissional e também à sua obra, que representa a cultura fronteiriça, que prioriza a universalidade do sentimento regional, sem se apegar a um regionalismo ensimesmado. “Não sou um especialista em cinema, mas sei valorizar aquilo que é visto pela minha comunidade como um valor. Fico orgulhoso em ver que temos, em Bagé, um cineasta contemporâneo que é capaz de recuperar, na sua obra, tudo aquilo que nos fez fortes naturalmente e nos evidenciou como uma aldeia diferente dos confins sulinos do nosso País”, declarou o deputado.
Por sua vez, Brito iniciou seu discurso agradecendo ao proponente e destacando que a ocasião se tratava de um ato de resistência pela valorização da arte. Logo após, o cineasta fez críticas ao atual cenário político nacional e ressaltou a história de Bagé como uma terra que criou pessoas empenhadas na defesa da cultura. “É preciso nascer a cada dia para ser artista. Dedico esta homenagem a todos os operários da arte com quem compartilho o fazer cinematográfico, o suor e os sonhos de todo o dia. Dedico aos artistas que vieram antes e aos que virão depois. Acredito na importância da educação e da arte na transformação de cada um de nós e na ampliação de nossa visão crítica, no enfrentamento de culturas visuais e virtualidades obscuras, interesses, algorítimos, manipulações e sistemas”, disse.

Homenageado
Um dos mais renomados diretores da nova safra do cinema brasileiro, Brito é graduado em Realização Audiovisual, pela Unisinos, e Artes Visuais, pela Ufrgs, onde também se formou mestre em História, Teoria e Crítica, e roteirista premiado no Brasil e exterior. O cineasta vem se destacando no cenário nacional, principalmente com filmes históricos documentais. Além disso, também é idealizador e diretor artístico do Festival Internacional de Cinema da Fronteira, que, neste ano, teve sua 10ª edição.
                               
Produções em exibição
Além do documentário exibido durante a cerimônia de entrega da medalha, a Assembleia Legislativa também está exibindo, gratuitamente, nesta semana, outros dois longas-metragens do homenageado.
Ontem, o Solar da Câmara recebeu uma sessão de "A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro" (2018), que revive a trajetória do expoente no jornalismo nacional, idealizador de projetos como o jornal "O Pasquim" e o caderno "Folhetim" da Folha de São Paulo.
Hoje, a partir das 18h30min, o ciclo de homenagens será fechado com a exibição do documentário "Glauco do Brasil" (2015), que reconta a história do bajeense Glauco Rodrigues, considerado um dos maiores pintores da arte brasileira contemporânea.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...