ANO: 24 | Nº: 6187
21/12/2018 Universo Pet

Amor pelos felinos

Foto: Divulgação

O primeiro animal de estimação de Bruna Saraçol da Conceição foi um gato persa. Antes disso, a experiência de Bruna com pets havia sido apenas com cachorros, que viviam no pátio da casa, junto a sua família. A opção pelo felino veio em função da mudança para um apartamento. Com o espaço reduzido, Bruna imaginou que seria melhor ter um gatinho.
O Walter foi o único morador da casa e, por muito tempo, não permitiu que outros pets também ocupassem o local. Quando ele já estava mais velho, foi a vez de Upe ser adotada. Ela é, hoje, a gatinha mais velha da casa, com oito anos — e recebeu uma chance também de Walter — que aceitou a nova integrante.
Três anos depois, Bruna recebeu uma nova inquilina — Mimi. Ela conta que uma amiga deixou a gata sob seus cuidados. O lar deveria ser provisório, apenas enquanto durasse uma reforma na cozinha da antiga tutora. Entretanto, o tempo foi passando e Up continuou na nova casa. Agora, já é uma integrante oficial da família e Bruna nem pensa em deixá-la retornar ao antigo lar.
Há um ano, Axl passou a morar na casa também. O nome foi dado em homenagem ao vocalista da banda Guns N' Roses. Ele chegou com o irmão Slash. A filha de Bruna, Alice, tem, hoje, quatro anos, mas já possui o mesmo carinho pelos animais. Também por volta de um ano atrás, ela adotou o Príncipe. O membro mais jovem da família é Mio, um gatinho com pouco mais de 30 dias de vida.
Bruna lembra que comprou o primeiro gato, mas com o tempo foi mudando de opinião e todos os outros foram animais adotados. A tutora dos cinco felinos comenta que, aos poucos, foi percebendo que havia muitos pets abandonados e, com isso, passou a acreditar que não era necessário comprar um cachorro ou gato.
Ela lembra também que é necessário ter cuidado com os gatis ou canis de onde vem os pets. Isso, porque muitas vezes os animais são utilizados para a reprodução sem os cuidados necessários. Além disso, os filhotes também precisam receber atenção, para evitar doenças e serem imunizados devidamente.
Mas mesmo com facilidade da adoção, vale frisar que os pets exigem atenção. Bruna tem todos os seus animais castrados, por exemplo. Ela mantém as vacinas, água, comida e fica atenta à saúde de casa um.
Hoje, acredita que não vai mais adotar gatos. Mas brinca que pede para que suas amigas não contem ou mostrem felinos que aguardam adoção.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...