ANO: 25 | Nº: 6283
21/12/2018 Editorial

Consórcio que projeta empregos


Talvez não tivesse denominação mais pertinente para uma obra que, devido à sua proporção, promete movimentar o mercado de trabalho gaúcho, em especial na Campanha. O Consórcio Chimarrão, como detalha reportagem desta edição, arrematou o lote ofertado pela Agência Nacional de Energia Elétrica que busca a construção de uma nova linha de transmissão ligando Candiota e Guaíba, na região Metropolitana.
A empreitada, que agora se avizinha, vale exaltar, não consiste na única encaminhada com o certame de ontem, da Aneel. Foram, nada menos, que 16 lotes arrematados que, juntos, representarão uma construção e operação de 7.152 quilômetros de linhas de transmissão, em todo o País, gerando, conforme estimado, cerca de 28 mil empregos ao longo de um período que variará de 48 a 60 meses.
É fato que o leilão da Aneel gera expectativas promissoras, seja pelo aprimoramento das redes existentes, bem como pelo aquecimento do número de oportunidades de trabalho. Mas não é apenas isso. Tais empreitadas, em síntese, buscam estimular um setor específico da matriz energética: a geração eólica. Ao que se anuncia, mesmo que novos empreendimentos surjam, não há capacidade, neste momento, que permita sua distribuição ao Sistema Interligado. Ou seja, tais obras devem se apenas um vislumbre de futuro promissor ao setor eólico.
A perspectiva, em termos locais, agora se aponta para a empreitada entre Candiota e Guaíba, passando por um número expressivo de outros municípios gaúchos, já deve trazer benefícios imediatos. Mas há, sem sombra de dúvida, um horizonte ainda meio inexplorado. Os ventos que por aqui passam são capazes o suficiente de motivar vultosos investimento. Já se sabe que há interessados, e até mesmo estudos que atestam seus potenciais. Caberá, então, torcer para que saiam do papel.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...