ANO: 25 | Nº: 6311
21/12/2018 Cidade

Cristiano Ritta recebe título de Cidadão Bajeense

Foto: Tiago Rolim de Moura

Delegado destacou que a noite era de
Delegado destacou que a noite era de "gratidão, reconhecimento e prestação de contas"
Nascido em Porto Alegre, o delegado titular da Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) – egresso e professor da Urcamp, Cristiano Ribeiro Ritta, foi reconhecido com o título de Cidadão Bajeense na noite de quarta-feira (19). A homenagem aconteceu na Câmara de Vereadores e foi acompanhada pela família do homenageado, amigos e colegas da área de segurança pública. A mesa da solenidade foi composta, também, pelo presidente da OAB/Bagé, Marcelo Ribeiro Marinho.
Formado em Direito pela Urcamp, em 2006, integrou a Academia da Polícia Civil, através do curso de formação para Delegado de Polícia, onde também atuou como professor, mesma tarefa exercida no Departamento de Ensino da Secretaria de Segurança Pública, com as disciplinas Inteligência Policial e Análise Criminal. Atualmente, é integrante do corpo docente da Urcamp, onde leciona Direito Penal e Processo Penal.
Ingressou na Polícia Civil como primeiro colocado no concurso público em 2010. Atuou em São Leopoldo e Porto Alegre, antes de retornar a Bagé, cidade que o acolheu desde os três anos de idade. Antes disso, também teve papel fundamental no desenvolvimento do disque-denúncia da Secretaria de Segurança Pública e na implantação da Plataforma de Inteligência da Polícia Civil.
Emocionado com a homenagem, que contou com depoimentos em vídeo de amigos e familiares, Ritta destacou que a noite era de gratidão, reconhecimento e prestação de contas do trabalho que desenvolveu na Rainha da Fronteira. O delegado aproveitou a oportunidade para agradecer à família pelo apoio e desculpou-se pela falta em casa enquanto atende pessoas que não conhece e que “depositaram sua confiança em mim para que eu pudesse levar o mínimo de esperança, de sensação de segurança”.
Como delegado, participou e coordenou operações que marcaram a história da segurança da região, como a maior apreensão de crack de Bagé, em 2016, mesmo marco alcançado na apreensão de LSD do Estado, em 2015. Além disso, também participou da desarticulação do maior laboratório de ketamina no interior Estado, em Dom Pedrito, no ano de 2015. Atua, ainda, como coordenador força-tarefa de combate ao abigeato.
Desde que chegou à cidade para assumir a então chamada Delegacia de Polícia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec), já realizou a apreensão de 300 quilos de droga. O trabalho contínuo contra o tráfico de entorpecentes realizado pela Drefec alçou Bagé como a segunda cidade com maior quantidade de apreensões durante o ano de 2016.
O delegado destacou, também, a gestão interna, como as melhorias das condições de trabalho para os policiais civis e a modernização do armamento e da estrutura e aparatos de investigação.
Agradeceu, ainda, a integração do trabalho entre a Polícia Civil e a Brigada Militar desenvolvida em Bagé, que é referência no Estado comentando a mudança institucional que transformou a Defrec em Draco, passando a atuar na esfera regional.
“Tenho um orgulho muito grande de fazer com que nossa cidade tenha uma preocupação com segurança. Esse reconhecimento não é só meu, pois o trabalho que realizo é junto a meus colegas de delegacia, que convivem comigo diariamente e me enxergam mais que a minha própria família”, finalizou.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...