ANO: 25 | Nº: 6330
22/12/2018 Cidade

Formando de Direito da Urcamp está na etapa final de concurso para Delegado Federal

Foto: Arquivo pessoal

Teixeira já passou em seleções para PRF e auditoria de Receita Federal
Teixeira já passou em seleções para PRF e auditoria de Receita Federal
O formando do curso de Direito da Urcamp, Márcio Teixeira, 32 anos, está nas últimas etapas de um dos concursos públicos mais concorridos do País, o de Delegado da Polícia Federal. Desde setembro, o acadêmico vem participando e sendo aprovado, entre outros 18 mil inscritos, em diversas fases da competição, que garante 150 vagas, neste certame, para o cargo.

Natural de Porto Alegre, Teixeira já passou por cinco etapas eliminatórias do concurso, sendo elas as provas (objetiva e discursiva), o teste de aptidão física, o exame médico e a prova oral. Agora, para conseguir sua vaga no curso de formação oferecido pela Academia Nacional de Polícia, o acadêmico precisa apenas passar na etapa psicotécnica e na avaliação de títulos.

Teixeira conta que começou sua jornada nos concursos públicos em 2007, quando iniciou os estudos para a seleção da Polícia Rodoviária Federal (PRF), onde foi aprovado no ano seguinte. Cerca de cinco anos depois, o gaúcho voltou a estudar para o concurso de auditor da Receita Federal, em que também foi aprovado e convocado, em 2015.

Porém, até mesmo a posição de auditor não foi o suficiente para manter Teixeira conformado, já que o mesmo sempre planejou atuar na polícia. "O que me trouxe aos concursos foi a vontade de entrar na polícia, e não, particularmente, o concurso", afirma o acadêmico. "Sempre acreditei na questão vocacional e no interesse por me incluir em alguma instituição que fosse do perfil desejado", complementa.

Quando questionado sobre os motivos que o levaram a conquistar essas classificações, Teixeira destaca "persistência" como a palavra que define a aprovação. "Hoje, não tem um candidato que possa se valer do conhecimento ou da facilidade de assimilação de conteúdo. O nível está muito alto e a exigência é muito grande. Então, é preciso que o candidato mantenha um ritmo de estudos ou ele não vai atingir seus objetivos", declara.

O acadêmico ressalta que sempre manteve uma rotina de estudos, no entanto, durante este ano, além de precisar se ausentar do cargo de auditor da Receita Federal, também teve que arranjar tempo para dedicar mais horas aos conteúdos previstos no edital para o concurso.

A graduação

Estudando Direito na Urcamp desde 2016, Teixeira revela que, devido a pressa de se formar, vendo que a graduação em Direito é um fator condicionante para sua aprovação no concurso, chegou a cursar 10 disciplinas em um único semestre.

"Sem a Urcamp eu não poderia estar realizando essa meta que tracei. Só tenho a agradecer aos professores qualificados, que me ajudaram e também souberam entender esse processo de combate que eu estava vivendo em razão desse concurso. Isso foi primordial para que eu conseguisse atingir esse objetivo", afirma Teixeira, que ressalta a figura do coordenador curso, Heron Vaz, pelo apoio durante a graduação. "Tem pessoas que te facilitam a vida. Para mim, ele foi uma dessas pessoas", declara.

Segundo Vaz, as conquistas de Teixeira e outros alunos, que se formam neste ano, são motivos de orgulho para o corpo docente do curso, o qual completa 50 anos no próximo ano. "Este ano foi muito especial, pois tivemos três aprovações em mestrados e duas em concursos públicos, só nessa turma. Fora as aprovações na Ordem dos Advogados do Brasil. Quanto ao Márcio, desde o primeiro contato com o curso, a gente já observava o grau de comprometimento e dedicação dele para alcançar seu objetivo. Então, essa conquista será mais do que merecida", declara o coordenador.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...