ANO: 26 | Nº: 6524
24/12/2018 Campo e Negócios

Acordo permite acesso a projeto genômico das raças Hereford e Braford

Foto: Divulgação

Assinado no início do mês, acordo visa estimular utilização da genômica na seleção de animais das raças
Assinado no início do mês, acordo visa estimular utilização da genômica na seleção de animais das raças

Após quase 10 anos de projeto, a Conexão Delta G, a Embrapa Pecuária Sul, de Bagé, e o GenSys firmam um acordo que visa estimular a utilização da genômica na seleção de animais das raças Hereford e Braford, disponibilizando a tecnologia gerada a demais criadores. Os resultados desse projeto, que sempre contou com forte apoio da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), já permitem a identificação, com elevado grau de acurácia, de animais mais resistentes ao carrapato, um dos principais causadores de perdas econômicas na pecuária gaúcha e nacional.
No acordo, firmado em reunião na Agropecuária Caty, em Santana do Livramento, no início de dezembro, outros criadores poderão realizar a seleção genômica, com base no banco de dados atual do projeto, e não só para essa característica de resistência ao carrapato, como também para outras características adaptativas e produtivas. "Além disso, os criadores poderão contribuir com a coleta de fenótipos das características avaliadas, aumentando o banco de dados genômico do projeto. Essa ação certamente contribuirá para que a genômica entre com força nos processos de seleção das raças Hereford e Braford", observa o presidente da Conexão Delta G, Eduardo Eichenberg.
De acordo com a consultora do GenSys, Fernanda Brito, a genômica, técnica inovadora que vem crescendo a cada dia, permite a predição para animais que não tem a característica medida, desde que, é claro, exista uma população de referência consistente que permita esta predição. Ele explica que o trabalho de contagens e genotipagens pela Conexão Delta G segue e tem que seguir ativo, a fim de manter as predições validadas para a população a que se destina. "O impacto da seleção para resistência ao carrapato é enorme, começando pela redução dos custos em medicamentos e incluindo aspectos como segurança alimentar, bem-estar animal, controle e preservação ambiental, controle de resíduos, entre outros", destaca.
A parceria iniciou em 2009, com o desenvolvimento do projeto de seleção genômica para resistência ao carrapato, o qual combina dados de contagens de carrapato e de genealogia com informações de DNA, de modo a identificar e selecionar aqueles animais mais resistentes. Por meio da análise genômica, que é o cruzamento da contagem de carrapatos no animal com as informações genéticas, já foram avaliados e genotipados mais de quatro mil animais de membros da Conexão Delta G no Rio Grande do Sul. Neste ano, iniciou-se um trabalho em relação à Ceratoconjuntivite Bovina Infecciosa (CBI), enfermidade que causa grande prejuízo na criação de raças taurinas e suas cruzas.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Outras edições

Carregando...