ANO: 24 | Nº: 6136

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
29/12/2018 José Artur Maruri (Opinião)

A obra impessoal e comum

Quando adentramos nos últimos dias de 2018 quase que, inevitavelmente, toda a humanidade volta seus olhos para a entrada de 2019. Muitos pedidos são feitos, outros tantos agradecem, no entanto, uma meta comum, para muitos, é a chamada felicidade.
Um psicólogo americano, Martin Seligman, da Universidade da Pensilvânia, citado pela Vice-Presidente de Unificação da Federação Espírita do Rio Grande do Sul, Maria Elizabeth Barbieri, na obra "Espiritualidade nas Relações – para viver e conviver em paz", concluiu que felicidade é na verdade a soma de três coisas diferentes: prazer, engajamento e significado.
Inexoravelmente, a busca do homem em ser feliz tem chamado a atenção da comunidade científica, o que algumas vezes leva a conclusão de que os comportamentos e hábitos conduzem a um estado saudável e feliz.
Lemos, em "A Gênese", obra de Allan Kardec, um texto que se alinha com a informação acima citada:
"A humanidade tem realizado, até o presente, incontestáveis progressos. Os homens, com a sua inteligência, chegaram a resultados que jamais haviam alcançado, sob o ponto de vista das ciências, das artes e do bem-estar material. Resta-lhes ainda um imenso progresso a realizar: o de fazerem que entre si reinem a caridade, a fraternidade, a solidariedade, que lhes assegurem o bem-estar moral. Não poderiam consegui-lo nem com as suas crenças, nem com as suas instituições antiquadas, restos de outra idade, boas para certa época, suficientes para um estado transitório, mas que, havendo dado tudo o que se comportavam, seriam hoje um entrave. Já não é somente de desenvolver a inteligência o de que os homens necessitam, mas de elevar o sentimento e, para isso, faz-se preciso destruir tudo o que superexcite neles o egoísmo e o orgulho".
Para Maria Elizabeth Barbieri, "isso leva-nos à conclusão de que estamos vivendo em um tempo onde o homem evangelizado tem o compromisso impostergável de ser coaching do seu semelhante, abolindo as atitudes orgulhosas, competitivas, excludentes e egoístas para a vivência dos valores que beneficiam e impulsionam o progresso de todos".
Para ela, "o homem de bem estabelecerá relacionamentos saudáveis e contagiará aqueles que ainda se demoram no estado atual de entorpecimento moral. É um trabalho urgente, o de mover os Espíritos Neutros, tal como definidos em 'O Livro dos Espíritos', item 105 – Nem bastante bons para fazerem o bem, nem bastante maus para fazerem o mal – a aderirem ao estado de bem-estar moral referido no texto citado, assim como todos os que se dispuserem a transformar a sua vida, desejando um novo patamar existencial".
Como se vê, a mudança que queremos para 2019 deve ser a mudança de nós mesmos, através da colheita dos bons frutos, advindos da obra impessoal e comum, inversamente proporcional, ao orgulho e ao egoísmo que apenas atraem o personalismo e o materialismo.
Vale ressaltar que a nossa querida Maria Elizabeth Barbieri acerta em cheio quando refere que "a Doutrina Espírita é uma proposta de renovação dos paradigmas limitadores criados pelo materialismo e quando bem compreendida ensejará a maturidade espiritual das criaturas".
Enfim, fiquemos com a exortação de Bezerra de Menezes, na psicofonia abençoada de Divaldo Pereira Franco, por ocasião do encerramento da reunião ordinária do Conselho Federativo Nacional no mês de novembro de 2015:
"Mantende-vos coesos com a Codificação Espírita, que um dia influenciará o comportamento da sociedade terrestre. O Espiritismo não é uma filosofia para determinado número de criaturas, é uma mensagem de vida eterna para todos os seres humanos. E, ante a interrogação dos desafios que parecem apresentar uma humanidade em decadência, ponde a certeza de que a Barca terrestre continua sob o comando do nauta Jesus, e na sua marcha inexorável irá aportar no país da regeneração. Dai-vos as mãos em qualquer circunstância".
(Referência: Maria Elizabeth Barbieri. Autores diversos. Espiritualidade nas Relações – Para Viver e Conviver em Paz. Editado pela Francisco Spinelli no ano de 2017. p. 288-290)

José Artur M. Maruri dos Santos
Trabalhador da União Espírita Bajeense
Comente: josearturmaruri@hotmail.com

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...