ANO: 25 | Nº: 6208

Marcelo Teixeira

marceloct@ymail.com
Advogado e professor universitário - Urcamp
29/12/2018 Marcelo Teixeira (Opinião)

As mais mais de 2018


Mais ineficaz que fake news em ano eleitoral.
Mais indigesto do que #LulaLivre com #EleNão.
Mais extenso que inverno na Rainha da Fronteira.
Mais tumultuado que o fim de ano do João de Deus.
Mais morta e sepultada que a polarização PT/PSDB.
Mais caída que atuação de Neymar na Copa da Rússia.
Mais paralisante que greve de caminhoneiros no Brasil.
Mais grenalizado que debate entre a direita e a esquerda.
Mais valioso que imóvel avaliado pela Exatoria Estadual.
Mais conturbado que contrato para coleta de lixo em Bagé.
Mais ultrapassada que margem de erro de pesquisa eleitoral.
Mais inconformado que eleitor derrotado nas últimas eleições.
Mais rejeitados que os líderes das pesquisas de intenção de voto.
Mais invertido que o efeito da facada na barriga de presidenciável.
Mais surpreendente que derrota da Alemanha para a Coréia do Sul.
Mais batizada que água mineral do Lula em seu derradeiro comício.
Mais empoderada que a Kéfera no Encontro com a Fátima Bernardes.
Mais tendencioso que jornalismo da Globo em desfavor de Bolsonaro.
Mais inconveniente que manifestação de Cid Gomes em comício do PT.
Mais paradoxal do que o tombamento do edifício tombado em São Paulo.
Mais atento que petista patrulhando a escolha do ministério do Bolsonaro.
Mais decepcionante que votação do Alckmin para presidente da república.
Mais reveladora da personalidade que manifestação política em rede social.
Mais surpreendente que desempenho do colorado no brasileirão pós série B.
Mais incompreendido que refugiado venezuelano por simpatizante bolivariano.
Mais manipulada que estatística de desemprego com exclusão dos desalentados.
Mais relembrada que ditadura militar em ano de eleição e nomeação de reservistas.
Mais "fake" do que a notícia de que o TSE ia combater as "fake news" nesta eleição.
Mais irônica do que a morte por arma de fogo do autor do Estatuto do Desarmamento.
Mais exclusivo que atendimento do STF aos apelos descabidos dos advogados do Lula.
Mais eficiente contra o cartel dos combustíveis do que a SIMples concorrência forasteira.
Mais desconfiado que contribuinte bajeense com atualização da base de cálculo do IPTU.
Mais indesejado que refugiado hondurenho entrando pela fronteira com a terra do jalapeño.
Mais iludido que técnico da seleção com o desempenho do time na Copa das Confederações.
Mais sem autoridade que lideranças dos caminhoneiros negociando o fim da greve com o governo.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...