ANO: 25 | Nº: 6312
29/12/2018 Fogo cruzado

Esquerda assume presidência do Legislativo

Foto: Sidimar Rostan/Especial JM

Petebista recordou próprio histórico no partido
Petebista recordou próprio histórico no partido
O vereador Carlos Adriano Carneiro (Esquerda), do PTB, assumiu a presidência da Câmara de Bagé, em sessão solene, realizada na sexta-feira. Também foram empossados o vice-presidente, Antônio Carlos Gomes Garcia (Carlinhos do Papelão), do PTB, o primeiro secretário, Edimar Fagundes, do PRB, que deixou a presidência, e o segundo secretário, Omar Ghani, do PR.
A nova mesa diretora foi eleita no dia 20, na última sessão ordinária do ano, vencendo a chapa encabeçada pelo vereador Antenor Teixeira, do Progressistas. Integrantes da chapa de oposição ao petebista, aliás, não compareceram à sessão solene que marcou a posse de Esquerda. A solenidade iniciou com o discurso de Fagundes, em tom de despedida e agradecimento aos servidores da Casa, a familiares e ao prefeito Divaldo Lara, do PTB.
O republicano destacou a parceria com o Executivo. “Quero cumprimentar o prefeito, por quem tenho profundo carinho e admiração. Alinhamos uma parceria de debate, de posição e de lado, no qual, defendemos caminhar juntos, para escrever uma nova história na Rainha da Fronteira. E isso farei até o fim do meu mandato”, garantiu.
Fagundes comandou o Legislativo durante dois anos, devolvendo ao Executivo, no período, de acordo com o chefe do Executivo, mais de R$ 2 milhões. Ele agradeceu ao petebista pela confiança e adiantou que vai manter a relação com o governo. “Estamos para ajudar, não para atrapalhar”, pontuou.

Trajetória petebista
No primeiro pronunciamento como presidente, diante de galerias lotadas, Esquerda recordou sua própria trajetória, lembrando que iniciou a relação com o PTB, partido que preside em Bagé, como cabo eleitoral em uma das campanhas do deputado estadual Luís Augusto Lara. “Me foi determinada a missão de confeccionar placas”, revelou.
Esquerda destacou que atuou como estagiário no Sine e que, na condição de suplente, assumiu o cargo de vereador, por 15 dias, na legislatura iniciada em 2002. Em 2012, garantiu a primeira eleição, ampliando a votação em relação ao pleito anterior. Em 2016, foi reeleito com margem ainda maior.
O petebista assume a presidência com a perspectiva de comandar os trabalhos legislativos até o final de 2020, cumprindo, portanto, o mandato estabelecido pelo regimento. Esquerda adiantou, ainda, que vai valorizar a relação com o Executivo. “Quero fazer da política um instrumento capaz de transformar para melhor a vida das pessoas”, salientou, ao classificar Divaldo como referência em gestão.
O presidente também mencionou a experiência à frente da Secretaria Municipal de Assistência Social, Habitação e Direitos do Idoso, comanda, por ele, nos dois primeiros anos do governo. A pasta, agora, está sob responsabilidade de Ramão Bogado (Bocão). Diante do primeiro escalão da administração municipal, afirmou que deixou a função ‘com a certeza de que existem funcionários comprometidos com o povo’.

Valor às oportunidades
Divaldo fez uma espécie de balanço da relação do Executivo com a Câmara, observando que Esquerda foi eleito democraticamente, pela maioria dos parlamentares. “Assume, assim, esse importante poder, que tem muita história em Bagé. Nesta Casa, homens e mulheres ajudaram a construir o que está edificado no patrimônio deste município”, definiu.
O prefeito elogiou a gestão de Fagundes, salientando que o republicano ‘muito pecado cometeu por não divulgar com efetividade aquilo que foi feito durante dois anos’. “O senhor deu respaldo para o trabalho dos parlamentares. Conduziu com parcimônia e diálogo. Não partidarizou. Manteve um terreno independente e aberto ao diálogo”, disse.
Recorrendo ao exemplo do novo presidente, Divaldo frisou ‘a importância de aproveitar as pequenas oportunidades’. “Têm pessoas que querem aproveitar as oportunidades. Pessoas como Carlos Adriano Carneiro. Ele aproveitou as pequenas oportunidades. Hoje é o presidente da Câmara. Tenho certeza de que vai manter o trabalho deste poder, sendo democrático e independente”, reforçou. “Não vivemos na cidade das maravilhas. Ainda temos que melhorar a saúde e as estradas. Temos diversos problemas, mas não são eles que nos movem. O que nos movem são as soluções”, pontuou.
Ainda durante discurso, o prefeito mencionou avanços na saúde, na educação, a construção de 1.164 unidades habitacionais (processo conduzido por Esquerda), melhorias em infraestrutura e obras, recordando a aprovação da lei que autoriza o Executivo a instituir, em Porto Alegre, a Casa de Hospedagem. Ele também mencionou a instalação de 17 novas empresas e reforçou que os voos regulares, ligando Bagé à capital, devem ser retomados no dia 7 fevereiro de 2019. “Nunca se abriram tantas vagas de emprego”, afirmou.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...