ANO: 25 | Nº: 6334
31/12/2018 Retrospectiva 2018

A esperança dos bajeenses na Copa 2018

Foto: Divulgação

Bajeenses tentavam esquecer a Copa 2014 comprando novos televisores, antenas e conversores digitais
Bajeenses tentavam esquecer a Copa 2014 comprando novos televisores, antenas e conversores digitais

Por Miquéli Romero


Durante um mês, os brasileiros vibraram com a 21ª edição da Copa do Mundo de Futebol. Nesse ano, foi a vez da Rússia receber milhares de pessoas de várias origens, línguas e crenças. E por falar em Rússia, o Jornal MINUANO mostrou, antes do início da competição, que existe na Região da Campanha uma cidade para onde vieram imigrantes russos, no final da década de 1940.

Foi na Colônia Nova, em Aceguá, que os menonitas, um grupo de cristãos descendentes do movimento anabatista, que surgiu na Europa do século 16 e fugiu após perseguições, encontraram um solo pedregoso. Alguns viram na terra preta e fértil um ambiente mais propício para o cultivo agrícola, principalmente o trigo.

As primeiras colheitas foram satisfatórias, mas, a partir de 1957, fracassos sequenciais desestimularam os recém-chegados. Muitos voltaram para Santa Catarina, que foi uma das primeiras cidades que eles habitaram no Brasil a partir de 1930. Outros aprenderam na Rússia que a união faz a força e, por isso, sobreviveram. Viram que a monocultura não era uma boa ideia, e assim ampliaram as matrizes-produtivas, destacando uma grande expressão da colônia na produção de laticínios, que mais tarde deu origem à Cooperativa Agrícola Mista de Aceguá.

Os anos de colonização na Rússia ficaram para trás, mas certos elementos da cultura foram incorporados pelos menonitas e até hoje fazem parte da Colônia Nova.

      

Vendas

O comércio é sempre o primeiro a se preparar para eventos nacionais e mundiais, como a Copa do Mundo. Essa oportunidade foi marcada por um entusiasmo maior dos brasileiros, na tentativa de esquecer o resultado da última competição, aquela de 2014, onde o Brasil perdeu em casa.

Antes mesmo que as celebrações do Dia das Mães acabassem, as bandeirinhas da seleção brasileira já estavam à mostra nas lojas de Bagé. Os comerciantes afirmaram que a expectativa de venda era grande e que a procura maior seria por televisores acima de 32 polegadas, antenas e conversores digital.

   

Partidas

No primeiro dia de jogo, dia 17 de junho, centenas de bajeenses foram para a avenida Sete de Setembro para assistir, em um telão, o jogo que acabou em um empate entre Brasil e Suíça. O jogo seguinte foi no dia 22 de junho, contra a Costa Rica, dia em que serviços públicos, escolas e agências bancárias adotaram horários diferenciados. Dessa vez, os brasileiros mantinham a esperança do Hexa: o Brasil ganhou por 2 a 0. A Seleção Brasileira avançou uma rodada no dia 27, vencendo o terceiro jogo, contra a Sérvia, por 2 a 0, e conquistou o primeiro lugar no Grupo E.

No dia 2 de julho, o Brasil mandou o México de volta para casa nas oitavas de final e conquistou sua vaga nas quartas. Uma partida com muitos momentos emocionantes com gols de Roberto Firmino e Neymar. O desafio das quartas de final enfrentou os brasileiros à Bélgica, no dia 6 de julho. Naquele dia, acabaria o sonho do Hexa, após a Bélgica ganhar por 2 a 1.

Naquele momento, acabavam, também, as esperanças de ter um enfrentamento entre o Brasil e os hermanos uruguaios na semifinal. Ninguém imaginou que aquele seria o ponto final também para o Uruguai. Em Bagé, além de ver torcedores e casas enfeitadas, era comum encontrar, pelas ruas, carros com bandeiras do país vizinho.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Carregando...