ANO: 25 | Nº: 6334
31/12/2018 Retrospectiva 2018

Da sala de aula ao mercado jornalístico

Por Augustho Soares

A interação entre curso de Jornalismo da Urcamp e o Jornal MINUANO é uma parceria de muitos anos. Mas, em 2018, este vínculo ganhou força, com a ampliação das atividades realizadas e a inserção dos alunos na redação do principal Jornal da Região da Campanha. Apenas neste ano, os estudantes produziram e publicaram nas páginas do jornal laboratório mais de 70 reportagens e 29 artigos de opinião.


Compreendendo uma redação

Uma das principais novidades do ano foi a inserção dos estudantes do último ano do curso, dentro das disciplinas de Estágio Supervisionado em Jornalismo I e II. Nas oportunidades, os alunos conheceram o cotidiano dos jornalistas, participaram da rotina dos repórteres e fotógrafos, além de produzirem reportagens especiais e minidocumentários, veiculados no jornal impresso, no portal da internet e nas redes sociais.

Segundo o coordenador do curso, professor Glauber Pereira, essa integração foi pensada como uma preparação dos alunos para o mercado de trabalho. “O jornalista tem que ser um profissional que entende o mundo e que antecipa o novo. Como vamos entender isso se a gente não vivenciar a prática? A natureza do curso responde a essa preocupação”, analisa.


Atuação em eventos

Durante este ano, os acadêmicos também tiveram a oportunidade de se inserirem dentro de eventos da Urcamp, como produtores de conteúdo jornalístico para diversas mídias. No primeiro semestre de 2018, os acadêmicos produziram e publicaram um caderno especial sobre a 8ª edição do BioUrcamp, evento que ocorreu em abril. Já na segunda metade do ano, foi a vez do Congrega Urcamp, maior evento acadêmico-científico das regiões da Campanha e Fronteira Oeste, em que os alunos produziram duas páginas de conteúdo diário exclusivo, com 31 reportagens.

 

Observatório da mídia

Outra iniciativa que teve, no início deste ano, foi a coluna “Observatório da Mídia”, que consistiu na produção de 18 colunas opinativas, publicadas semanalmente, entre setembro e dezembro. Nelas, os acadêmicos lançaram o seu olhar sobre a imprensa atual, baseados nas propostas debatidas em sala de aula. “Esse trabalho provoca nos alunos um pensamento mais crítico sobre sua própria profissão, e levanta, também, estas questões para a sociedade, já que a mídia é um elemento que faz parte da vida de todas as pessoas”, declara Cristiane Pereira, que supervisionou a atividade.


Há 50 anos

Desde o primeiro semestre do curso, os alunos já publicam e assinam conteúdo jornalístico no MINUANO. Prova disso é o projeto “Há 50 anos”, no qual os estudantes pesquisaram edições do extinto jornal Correio do Sul, relembrando o que foi notícia em 1968. O material faz parte do arquivo do Museu Dom Diogo de Souza, também mantido pela Fundação Attila Taborda. “Essa atividade permite que o aluno veja as diferenças da evolução do jornalismo nestes 50 anos”, destaca Cristiane.


A influência no Jornal

Todas essas interações também tiveram efeito no dia a dia da equipe do Jornal MINUANO. Para o editor-chefe, jornalista Felipe Valduga, também formado pela Urcamp, a participação dos estudantes na rotina da redação não apenas influenciou, como mudou a realidade do veículo. “A gente teve reportagens produzidas ao longo de um mês, bem aprofundadas e com uma enormidade de informação. Algumas dessas matérias produzidas por alunos, inclusive, geraram capas do Jornal”, salienta Valduga.


A retrospectiva pelo olhar dos estudantes

Para fechar esse ciclo de práticas e fortalecer ainda mais esta integração, pela primeira vez, a retrospectiva anual do Jornal MINUANO é produzida por um grupo de 15 acadêmicos do curso de Jornalismo. Com supervisão da professora Cristiane Pereira e edição do acadêmico Marcelo Rodríguez, a iniciativa trouxe uma forma diferente de resgatar os acontecimentos de 2018, deixando de lado questões cronológicas e destacando os principais assuntos que marcaram a Rainha da Fronteira.

Diego Rodrigues conta que a experiência foi de grande importância e responsabilidade. “Isto contribuirá muito para o meu futuro, ainda mais porque tive uma experiência no jornalismo esportivo, um ramo que quero seguir futuramente”, assegura. Para Eduardo Gonçalves, concluir a atividade dentro dos prazos foi um desafio que valeu a pena. “É importante para os alunos entenderem e se ambientarem com o processo jornalístico”, informa.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Carregando...