ANO: 24 | Nº: 6137
03/01/2019 Editorial

Discursos, por enquanto

Acabar com a corrupção, não gastar mais que o necessário, retomar o crescimento, tornar o futuro do setor público viável e, com isso, fazer o Brasil e o Rio Grande do Sul lugares melhores para se viver, com condições para todos. Em parte, os discursos do presidente Jair Bolsonaro e do governador Eduardo Leite contrastam. O que é até natural para quem inicia um trabalho com vistas a buscar o apoio essencial para governar.
Mas, por enquanto, as palavras proferidas serão guardadas para o âmbito do discurso. Sim, para que ambos atinjam seus objetivos, será preciso ação, o que começa, de fato, a acontecer agora. Os brasileiros, e os gaúchos, é que serão os responsáveis por acompanhar e avaliar o desempenho de cada um dos dois gestores e identificar se as manifestações proferidas irão ou não ao encontro do que fora prometido.
Gerir contas públicas, ainda mais no âmbito de um gigante como o Brasil, assim como um Estado de certo modo avançado, no que tange o Rio Grande do Sul, exigirá, muito além de capacidade técnica, desenvoltura para negociar e ideias inovadoras, de equipes bem capacitadas, que entendam os anseios de seus comandantes e se empenhem em garantir resultados. Senão os determinados na planilha, os mais próximos da meta estipulada.
O caminho de Jair e Eduardo recém começou. Serão quatro anos pela frente e uma difícil missão para cada um, isso é uma verdade, que atingiria qualquer outro que fosse eleito para tais cargos. E assim como o desejo de que 2019 seja melhor que 2018, que ambos alcancem o sucesso em seus objetivos, desde que estes sejam coletivos com os almejados pelo restante da população brasileira e gaúcha!

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...