ANO: 25 | Nº: 6256

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
07/01/2019 Caderno Minuano Saúde

Coloproctologia: o que é essa especialidade?

Foto: Divulgação

Pág 2 - Especialista Silvia Mello
Pág 2 - Especialista Silvia Mello

A Coloproctologia é a especialidade médica envolvida na prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças do cólon (intestino grosso), do reto e do ânus, tanto clínicas quanto cirúrgicas. Compreende a realização de diversos procedimentos, como a colonoscopia, que possibilita a identificação e tratamento de doenças intestinais como pólipos e câncer de intestino.

O coloproctologista ou cirurgião colorretal é o médico especialista, capacitado a diagnosticar e tratar estas doenças. Após 6 anos de graduação em Medicina, o profissional que se especializa em Coloproctologia realiza uma residência de dois anos em Cirurgia Geral e, após esse período, estará apto a prosseguir na especialização em Coloproctologia, por mais dois anos.

A coloproctologia não é uma especialidade muito difundida e, por isso, muitas pessoas desconhecem os sinais de alerta de quando procurar a ajuda desse especialista.

Nesta edição, a médica coloproctologista e colonoscopista, Sílvia Cougo Madruga Mello, irá desvendar este serviço e mostrar para que serve esta especialidade.

Quando é necessário procurar atendimento com um coloproctologista?

A especialista dá alguns pontos de quando é necessário o atendimento do profissional: Presença de sangramento anal ou nas fezes; Ardência ou coceira anal; Histórico de câncer colorretal na família; Dor e cólica frequentes na região abdominal; Nódulos na região anal; Dor anal; Presença de secreção anal; Alteração do ritmo intestinal (prisão de ventre ou diarreia constantes); Dificuldade para evacuar e/ou dor durante a evacuação.

Sílvia explica que, por mais simples que o sintoma possa parecer, ele pode ser um indicativo de um problema mais grave, como Câncer Intestinal. “Felizmente, a maioria das doenças colorretais têm cura ou tratamento, seja por meio de medicamentos ou pela realização de cirurgia. O diagnóstico precoce e o acompanhamento médico são fatores fundamentais para ter maiores chances de cura evitar complicações”, argumenta.

A médica evidencia que é fundamental que o paciente procure o médico tão logo observe o aparecimento dos primeiros sintomas — para que o diagnóstico seja feito precocemente e o tratamento possa ser iniciado. “Por isso, esteja sempre atento ao seu corpo, sem preconceitos, tabus ou restrições. O Coloproctologista é o médico mais indicado para tratar diversas doenças”, comentou.

Algumas das mais comuns são:

Hemorroidas e incontinência anal;

Fissuras anais;

Doenças inflamatórias intestinais como Doença de Crohn e Retocolite.

Diverticulite;

Tumores benignos e malignos do cólon, reto e ânus;

Diarreia ou constipação crônicas;

Síndrome do intestino irritável;

Fístulas e abscessos anais;

Pólipos do cólon e reto;

Doenças sexualmente transmissíveis no reto e ânus;

Prolapso retal;

Como posso prevenir o câncer colorretal?

Assim como para outros tipos de câncer, é interessante que o indivíduo tenha sempre hábitos de vida saudáveis, com alimentação rica em frutas, verduras, cereais integrais, acompanhado de uma rotina de exercícios físicos, ressaltou a coloproctologista. “Os alimentos ricos em fibras protegem o intestino porque facilitam a evacuação, aceleram o trânsito intestinal e diminuem o tempo de contato das substâncias carcinógenas (que levam a formação de câncer) com a parede do intestino”, acrescentou.

"A reflexão sobre o seu estilo de vida é sempre uma forma de prevenir qualquer tipo de câncer, pois, ao buscar equilíbrio, você certamente atingirá uma vida saudável", diz Sílvia.

A colonoscopia é, hoje, um exame seguro e extremamente eficaz para detecção, tratamento e prevenção das doenças do intestino grosso, devendo ser realizado como método de escolha para rastreamento do câncer do câncer colorretal (câncer de intestino).

Condilomas e HPV anal

Também conhecidos como verrugas anais, os condilomas são pequenas lesões com formato e aparência de verrugas que podem afetar a pele em torno do ânus, podendo surgir também no interior do canal anal. Outras regiões vizinhas também podem ser afetadas pelas lesões, principalmente a pele da área genital, períneo, nádegas e virilhas.

Condiloma é considerado uma doença sexualmente transmissível e o agente causador da doença é o Papiloma Vírus Humano, conhecido como HPV. Através do contato íntimo e direto, pode haver transmissão da doença. Não é necessário haver penetração para o surgimento de lesões no ânus.

Sintomas

O sintoma mais comum é o prurido (coceira), podendo apresentar também sangramento e, mais raramente, dor. O mais provável é que o próprio paciente perceba as verrugas durante a higiene. Entretanto, algumas lesões são muito planas, rasas e não elevadas, podendo passar despercebidas pelo paciente, necessitando de avaliação, como no caso das lesões que surgem dentro do canal anal. Neste caso, é de grande importância o exame preventivo da região anal, a ser realizado pelo coloproctologista.

Condiloma tem alguma ligação com câncer?

Sim. Existem subtipos do vírus que estão direta e claramente relacionados com a ocorrência de câncer na região anal. É importante procurar um coloproctologista para ser avaliado e receber o tratamento adequado.

Prevenção

O sexo seguro, com uso de preservativos e com parceiros de confiança, é a melhor prevenção para este problema. Por segurança, é aconselhável que o (a) parceiro (a) seja também avaliado.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...